Sociedade

OS ATOS DA DIREITA

A PM, os Carecas e as manifestações pelo impeachment

Allan Costa

Militante do Grupo de Negros Quilombo Vermelho - Luta negra anticapitalista

sexta-feira 18 de março de 2016| Edição do dia

Os atos encabeçados por setores reacionários da direita pedindo o impeachment de Dilma têm sido marcados pelo apoio nada casual de quem é usado pelo Estado como monopolizadora da violência contra o povo e suas lutas: A polícia.

Ontem (17), em São Paulo, uma cena foi além dos costumeiros selfies dos que vestem verde e amarelo ao lado dos aparatados "agentes da lei" e seus cassetetes, fuzis, pistolas, cavalos e caveirões (que no dia a dia servem para intimidar, perseguir e matar a juventude negra nas periferias das cidades). Numa demonstração de reverência, um grupo de policiais fez formação bateu continência para os manifestantes que fechavam a Av. Paulista, agradecidos pelo reconhecimento de seus "heróis" os manifestantes bateram palmas de satisfação.

Numa outra foto que viralizou nas redes sociais, um grupo de policiais aparece posando ao lado de Carecas, conhecidos por sua intolerância e violência inspiradas no fascismo e que, segundo vários relatos, se espalharam pela região central para atacar e intimidar pessoas que aparentassem expressar alguma das ideologias que perseguem

Essas demonstrações de apoio mútuo entre esses setores, na verdade,reafirmam o que já viemos denunciando amplamente: Essas manifestações não são para dar uma resposta aos problemas da população pobre e explorada ou para de fato combater a corrupção, pelo contrário, exaltam a união entre setores da elite com a polícia e todo tipo de excrecência reacionária.

Os dados da PM no Brasil são amplamente conhecidos, a polícia mais assassina e corrupta do mundo faz a sua parte permitindo que manifestantes fechem avenidas num ato que, em São Paulo, por exemplo, tem como ponto de concentração um enorme e bizarro pato de borracha gigante, inflado pelos grandes patrões da FIESP, que ofereceu até Filé Mignon aos manifestantes, enquanto o o governador Geraldo Alckmin (PSDB), deslavada e cinicamente, achou melhor não dar as caras pessoalmente depois de ter sido expulso, mas foi às redes sociais falar em vídeo que era hora do Brasil se unir em nome da "ética" para mudar a realidade do país. Discurso cheio de oportunismo e demagogia que esconde por trás de si o cartel do Metrô e a Máfia das Merendas.

Qualquer um se lembra prontamente da enorme diferença no trato das manifestações dos setores de esquerda, por exemplo os estudantes secundaristas no ano passado, que mesmo sendo apenas menores de idade fechando avenidas, muitas vezes menos importantes que a Av Paulista, e pedindo que suas escolas não fossem fechadas para que pudessem continuar estudando, foram fortemente reprimidos e agredidos. Do mesmo modo, as ações violentas contra os professores em suas greves ou contra a juventude que luta contra o aumento das tarifas são muito diferentes, nada de selfies, só tiro, porrada e bomba!

É evidente que essa empatia da Polícia se dá porque se tratam de setores reacionários tanto quanto ela mesma. Mas de onde vieram todos esses reacionários que agora colocam suas garras pra fora nos atos contra o governo? A resposta está nos anos deste mesmo governo do PT no poder. Ao assimilar os métodos corruptos dos burgueses e usando como desculpa a "governabilidade", o PT trouxe para perto de si a tal bancada BBB (Bala, Boi e Bíblia) que serviu como base aliada durante esses anos. Isso significa que ganharam espaço com o sinal verde para avançar nos anos do governos Lula e Dilma os defensores da racista e assassina polícia; latifundiários, "coronéis" e seus pistoleiros assassinos dos povos indígenas e sem terra; e ainda os homofóbicos, machistas e conservadores pastores, como Marco Feliciano.

Os anos do PT também foram os anos da Força Nacional de Segurança Pública usada contra as legítimas greves dos trabalhadores, como em Jirau; da criação e fomento das UPP’s, responsáveis pela ocupação de morros e que tiram as vidas de "Claudias, Amarildos e DG’s"; anos das missões de "Paz" no Haiti e no Congo que cometem atrocidades com o povo negro em países historicamente devastados pelos interesses imperialistas.

Tudo que se levanta agora contra Dilma, Lula e o PT, é fruto daquilo que eles mesmos plantaram. Os setores mais reacionários se moralizaram e, com a certeza da impunidade que as instituições de onde se projetam lhes garante, colocam o bloco na rua sem medo de represálias.




Tópicos relacionados

Manifestação da direita 13/3   /    Sociedade   /    Política

Comentários

Comentar