Educação

DENÚNCIA

MP do Ceará coage professores ao retorno inseguro das aulas em troca de promessa de vacina

Segundo denúncia, o Ministério Público do Ceará está coagindo professores a assinar documento que obriga retorno inseguro às escolas.

segunda-feira 31 de maio| Edição do dia

A professora Anna Karina, do PSOL, denunciou em sua página nas redes sociais que o Ministério Público do Ceará, junto à Defensoria Pública, está coagindo professores da rede pública a assinar um documento que os obriga ao retorno inseguro das aulas em troca de uma promessa de vacina.

Enquanto o governo de Camilo Santana (PT-CE) e a prefeitura de José Sarto (PDT-CE) não garante as mínimas condições sanitárias nas escolas para o retorno às aulas, instituições como o Ministério Público e a Defensoria Pública mostram como estão a serviço tanto do negacionismo de Bolsonaro como da demagogia de governadores como o próprio Santana, atuando para perseguir e coagir professores para que coloquem suas vidas em risco no retorno inseguro das aulas.

Veja também:
Manifestações do 29 de maio - Camilo Santana do PT usa PM para reprimir ato contra Bolsonaro no Ceará




Tópicos relacionados

Nordeste   /    Retorno inseguro das aulas presenciais    /    Pandemia   /    Ceará   /    Educação

Comentários

Comentar