Política

SÃO PAULO

Dados apontam caixa 2 na campanha de Fernando Holiday

Informações divulgadas nessa segunda-feira, 13, revelam o pagamento de cabos eleitorais em dinheiro vivo pelos coordenadores de campanha de Holiday. A quantia não foi declarada nos gastos da campanha.

segunda-feira 13 de março de 2017| Edição do dia

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom

Segundo dados divulgados na tarde desta segunda-feira, 13, pelo BuzzFeed Brasil, o vereador de São Paulo e líder do MBL, Fernando Holiday, teria pago cerca de 12 cabos eleitorais para trabalharem em sua campanha nas eleições municipais de 2016. Os pagamentos, realizados em dinheiro vivo, contabilizam cerca de R$ 4.200 e não foram contabilizados nos totais R$ 52.551,68 declarados à Justiça Eleitoral.

As planilhas obtidas pela equipe de reportagem do site apresentam nome, documento e assinatura dos cabos eleitorais contatados na Avenida Paulista. Dois cabos listados na planilha foram ouvidos pela equipe, os quais confirmaram o trabalho realizado e o pagamento em dinheiro vivo, além de mencionar o nome de Tatiane Carvalho como responsável pela contratação. Tatiane aparece em fotos ao lado de Fernando Holiday e Kim Kataguiri, outro líder do MBL e era uma das coordenadoras da campanha de Holiday para vereador da capital paulista. Áudios de Whatsapp divulgados também mencionam a realização do trabalho de panfletagem na Paulista durante o período de campanha.


Planilha contendo os nomes dos cabos eleitorais. BuzzFeed Brasil.

Por meio da assessoria de imprensa, Holiday negou a contratação ilegal por meio de caixa 2. Afirmou que "a prestação de contas da campanha foi entregue e aprovada pela Justiça Eleitoral e pode ser consultada publicamente."

Em meio as diversas investigações de políticos ligados a esquemas de corrupção , o MBL e Holiday aos poucos tropeçam e mostram que de "novo" e "diferente" não tem nada. São completamente funcionais aos grandes figurões da política nacional, que têm nestas novas figuras a chance de perpetuar um mesmo projeto de ataque aos direitos dos trabalhadores com caras novas, em troca da manutenção dos privilégios dos grandes empresários. Estes dados recentes somam-se as anteriores denúncias de financiamento do PMDB às manifestações pró-impeachment realizados pelo MBL no ano passado.




Tópicos relacionados

MBL   /    São Paulo   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar