Internacional

CHILE

Basta de manobras: Chile pede nas ruas que Piñera vá embora

Piñera acaba de anunciar uma mudança de gabinete. Uma nova armadilha, uma nova forma de manobra, para salvar a vida dos governos direitistas, mas agora com novas caras, enquanto Piñera segue, segue também esse regime herdeiro da ditadura. O pedido das ruas tem sido categórico e dizem: Fora Piñera! Greve geral como continuidade da mobilização para derrubá-lo junto com todo o regime.

segunda-feira 28 de outubro| Edição do dia

Fazem poucos minutos que Sebastián Piñera anunciou a esperado troca de gabinete antes do enorme rechaço popular a seu governo, buscando gestos políticos que não mudam nada para ver se finalmente consegue descomprimir a rebelião popular. São auto-reformas puristas de palácios que não mudam nada e só rem o objetivo de nos enganar com gestos desesperados para manter seu governo longe do repudio popular.

O anuncio no meio desta tarde dado por Piñera mostra que as principais mudanças foram:

A saída do odiado Andrés Chadwick, ministro do Interior foi substituído por Gonzalo Blumel, um mero ministro, mas aproveitará a situação para mostrar sua cara e dar uma cara mais jovem e “amigável” ao palácio. Próximo ao governo também saio Cecilia Pérez da prefeitura da região metropolitana e Karla Rubilar, que esteve responsável pela repressão em Santiago durante esses anos de governo. Da secretaria geral do governo saiu, Gonzalo Blumel substituído por Felipe Ward. O ministro da economia também saiu, com a saída de Felipe Larraín (Fazenda) assumiu Gustavo Briones e Juan Andrés Fontaine (Economia) substituído por Lucas Palacios Covarrubias. A secretaria do Trabalho e e Previdência Social, Maria José Zaldivar, filha do líder histórico DC Adolfo Zaldívar, assumirá como ministra do Trabalho, substituindo Nicolás Monckeberg.

É uma manobra onde ele abandona seus ministros para manter a cabeça de Piñera, que está completamente rechaçado pelo conjunto da população. Uma nova mudança, uma nova manobra, para salvar a vida deste governo direitista, mas agora com novos rostos, mas as mentiras de piñera, não mascaram esse governo e suas heranças da ditadura. O pedido das ruas é categórico FORA PIÑERA! Greve geral como continuidade da mobilização para derrubá-lo junto com todo o regime.

Por acaso a direita com Piñera no governo, que é popularmente repudiado, dará alguma solução para as nossas demandas? Piñera é mentiroso e esse regime herdeiro do Pinochet, não podem dar soluções as nossas demandas. Teremos que derrubar ambos com as forças da rua e com greve geral e mobilização.

As manifestações convocadas ao longo desta semana, em especial a de amanhã, 29 de outubro, deve ser uma enorme manifestação de massas para mostrar nossas forças nas ruas e derrubar Piñera. Não queremos suas marionetes queremos que Piñera saia agora com todo seu governo e assim também coloquemos um fim a herança da ditadura.

#EstoNoHaTerminado (Isso ainda não acabou) porque “ não são 30 pesos, são 30 anos”. A “novidade” é que Piñera tem falado para que tomemos as ruas para manter o Chile herdeiro da ditadura como estamos. Querem pôr fim a luta nos concedendo pequenas migalhas sociais, mantendo todo o sistema, com gestões políticos e mentiras Piñera se mantem o mais odiado, mesmo com negociações parlamentares.

Até mesmo com a antiga Concertacíon, para nos desviar para as salas de seus gabinetes onde se chocam nossas reivindicações. A antiga Concertacion e também o “bacheletismo” procuram salvar a cabeça de Piñera até hoje, legitimando o estado de emergência e o toque de recolher com suas sessões parlamentares, enquanto povo era morto nas ruas. Se dizem amigos do povo, mas é falsidade, tentam nos enganar para que saiamos das ruas e tudo se mantenha igual.

Sua “agenda social” são migalhas. Concedem algumas coisas, porque não querem perder tudo, pois viram essas semanas que seus interesses e privilégios estão ameaçados. Essas medidas são migalhas frente ao nosso povo que foi morto por eles.

A grande maioria quer a queda de Piñera. Todas as pesquisas mostram uma aprovação de 15% de apoio popular, enquanto o rechaço chega a quase 80%. Como derruba-lo? Com a luta nas ruas, com greve geral ativa junto a mobilização em La Moneda, desde que vamos as ruas. Na terça feira a mobilização em La Moneda deve permanecer até que ele caia!

Não podemos nos enganar com as diversas armadilhas e manobras que fazem com as mudanças no palácio, com o parlamento e os instrumentos do regime, que só tem o objetivo de nos desviar da luta. Não existe nada de novo. Simples auto-reformas e "gatopardismo": Mudam pequenas coisas, para não mudar nada.

A esquerda do regime, tem o Partido Comunista e A Frente Ampla que tem se mostrado os campeões em respeitar as mesmas leis que são impostas pela ditadura e a transição pactuada. Ao invés de propor que Piñera renuncie, eles tem proposto salva-lo e tem legitimado todas as manobras deste regime. Por exemplo, estão propondo agora uma “Ação constitucional” contra Piñera, alguém realmente acredita que esse congresso, este senado e sua corja vão punir Piñera? Que os velhos dinossauros da direita e da Convertacion vão colocar Piñera fora do governo? Muito pelo contrário, uma santa aliança será feita para defender as instituições da republica herdeira do Pinochet.

A política de “dialogo sem exclusões” com a “mesa da unidade social” que eles propõem, embora, milhões querem que ele saia, mas não, querem sentar com o odiado Piñera e receber suas migalhas. Também querem um plebiscito, uma ferramenta da constituição ditadora dos anos 80, que não efetiva e sim apenas consultiva a população. Mas nós defendemos que primeiro Piñera deve cair! Não só isso: Queremos decidir tudo! Como farão essas consultas? Por acaso o congresso cheio de políticos ricos e milionários que atuam a serviço das grandes empresas podem impulsionar uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana?

Precisamos tirar Piñera e todo o regime. Mas só dá para fazer isso com mobilização. A greve geral deve exigir da CUT e da mesa social que a retomem. Agora chamam “paralisação nacional” na quarta, mas ela deve ser efetiva, com mobilização, preparada com assembleias, com um plano de lutas para dar continuidade. Basta que caia o governo e o regime para podermos impor Assembleia Constituinte Livre e Soberana que acabe com todos os poderes atuais e debata medidas urgentes para uma saída favorável aos trabalhadores, estudantes povos oprimidos e setores populares.

Construir comitês para coordenar as lutas é a chave para lutar por essa perspectiva e é justamente o que as burocracias não querem. O Comitê de Emergência e Proteção em Antofagasta, promovido pela comunidade do Colégio de Professores e no qual sindicatos e mineração, indústria, comércio, estudantes secundários e universitários, médicos e profissionais participam, votou neste plano e é mobilizado para expandi-lo e ampliá-lo

O Cordón Santiago Centro fez o mesmo, poucas horas antes da marcha votou moções em uma assembleia massiva. Instâncias como o Conselho Social de Valparaíso, que decidiram continuar a greve até sexta-feira e mobilizaram dezenas de milhares em direção ao Congresso, pediram para serem mantidas e aprofundadas, juntamente com a tomada da UPLA e a coordenação da sede independente. Como exemplo de uma vanguarda ativa que enfrentou a dura repressão desferida pelo Congresso, são exemplos em uma perspectiva de luta até a queda de Piñera e de todo esse regime.




Tópicos relacionados

Retorno da luta de classes   /    Chile   /    Internacional

Comentários

Comentar