Mundo Operário

PARALISAÇÃO NACIONAL CONTRA O PL 4330

Atividades marcaram o dia de paralisação nacional contra o PL4330 em BH e Contagem

sexta-feira 17 de abril de 2015| Edição do dia

Após o fechamento da Avenida Amazonas realizado na madrugada, na entrada da fábrica Magnesita na Cidade Industrial em Contagem e da paralisação de 24 horas na Refinaria Gabriel Passos da Petrobrás, em Betim, às nove horas da manhã começou uma panfletagem na Praça do Hospital Iria Diniz em Contagem, organizada pelo Sindute- Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação, como parte das atividades programadas para o dia de paralisação nacional, aprovada pelas centrais sindicais, contra o PL4330.

Foram denunciados os cortes de gastos na educação, saúde e transporte público e os ataques aos direitos trabalhistas feitos em âmbito municipal, estadual, pelo Congresso Nacional e o governo Dilma/PT.

Às 16 horas , começou a concentração na Praça Afonso Arinos em BH, caminhando para a Praça Sete, aonde centrais sindicais, organizações políticas, movimentos sociais e estudantes se manifestaram contra o PL4330 fechando as ruas da cidade e reunindo cerca de mil pessoas.
Nós do MRT participamos das atividades em Contagem e BH, defendendo o fim da terceirização com efetivação imediata de todos os trabalhadores e trabalhadoras terceirizados sem necessidade de concurso público.

Denunciamos fortemente os ataques promovidos pela direita e pelo governo do PT em todos os últimos anos e em diferentes âmbitos, e também a CUT que foi conivente com aumento da terceirização promovido por Lula e Dilma. Veja a seguir, fala de Flávia Vale, professora precarizada de Contagem e militante do MRT:




Tópicos relacionados

Terceirização   /    Belo Horizonte   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar