VIOLÊNCIA POLICIAL

Uma criança negra de apenas 14 anos, foi assassinado pela polícia sanguinária e racista

A instituição militar demonstra mais uma vez seu ódio e sede de sangue negro. Infelizmente, o racismo dessa instituição arrancou de forma violenta e cruel a vida de Ray Pinto Faria, uma criança de apenas 14 anos, assassinado pela polícia militar. A realidade das crianças pobres e negras no Brasil é marcada pelo racismo e violência capitalista que nega de forma cruel e fria o direito à própria vida.

terça-feira 23 de fevereiro| Edição do dia

Foto: Reprodução

Como de costume as instituições policiais usam da farsa do combate às drogas para violentar e atormentar a vida dos moradores negros e pobres das favelas e periferias do Rio de Janeiro. Uma operação policial no morro do Campinho, na zona norte do Rio de Janeiro, resultou no assassinato de uma criança negra com apenas 14 anos de vida. A realidade das crianças pobres e negras no Brasil é marcada pelo racismo e violência capitalista que nega de forma cruel e fria o direito à própria vida.

Segundo depoimento de familiares, Ray, estava na porta de casa mexendo no celular e foi abordado e levado por policiais, logo depois, foi encontrado morto no hospital Salgado Filho, localizado no Meier, zona norte do Rio de Janeiro. Certamente a família de Ray P. Faria será brutalmente marcada com o que existe de mais cruel no capitalismo, a violência policial, imposta pelo racismo estrutural que violenta e mata os negros todos os dias.

Ray, era uma criança negra e pobre que trabalhava já aos 14 anos carregando compras de supermercados, se não fosse a violência capitalista e o racismo, poderia ser apenas uma criança no celular pela manhã em frente da sua casa, porém, no capitalismo as crianças negras e pobres são tão violentadas que infelizmente morrem apenas por serem negras e pobres. Depois a família é obrigada a lidar com a enorme injustiça e com as justificativas mentirosas da instituição policial e dos órgãos judiciais.

Moradores na tarde dessa segunda-feira (23) protestaram contra a morte de Ray, porém foram respondidos com mais repressão policial e alguns manifestantes foram parar na delegacia por conta disso, ou seja, as contradições do capitalismo e sua falácia de democracia e liberdade são assim, buscam os aparatos repressivos do Estado para impedir a luta e organização das pessoas que tem sede e vontade de justiça.

Nós do esquerda diário nos solidarizamos com a família de Ray e declaramos nosso total ódio de classe a instituição policial, instituição esta responsável pelo genocídio do povo negro e pobre nas favelas e periferias de todo país.




Tópicos relacionados

Brutalidade policial   /    Repressão policial   /    Racismo Policial   /    Racismo   /    Violência policial   /    [email protected]

Comentários

Comentar