Política

CASO DA MENINA ÁGATHA

PMs invadiram hospital para roubar bala que matou Ágatha

O ocorrido se deu logo após a morte da menina. Apesar disso, os médicos se recusaram a entregar o projétil.

quinta-feira 3 de outubro| Edição do dia

No último dia 21, o Rio de Janeiro assistiu estarrecido ao assassinato de Ágatha Félix, de apenas 8 anos, em uma operação da polícia no Morro do Alemão. Após isso, ainda tivemos que contar com a provocações de um membro do MBL invadindo o enterro da menina e com o absurdo pronunciamento do governador Wilson Witzel.

Entretanto, os absurdos parecem não ter fim. Conforme denunciado pela Revista Veja->https://veja.abril.com.br/brasil/pms-invadiram-hospital-e-tentaram-levar-a-bala-que-matou-agatha/], no mesmo dia do assassinato, PMs tentaram invadir o hospital para roubar a bala que teria matado Ágatha. A equipe médica, no entanto, não entregou o projétil.

Esta notícia só reforça a versão dos moradores, que teriam sido os PMs que teriam matado Ágatha. Frente a isso, é necessário que o movimento estudantil assuma essa bandeira como a central, assim como todos os sindicatos dirigidos pela CUT e CTB, os partidos de esquerda especialmente o PSOL, movimentos de direitos humanos, movimento negro e de mulheres, e que se construa um grande movimento contra a violência policial e seus assassinatos da população pobre e negra, em defesa da vida da população, porque as vidas negras e as vidas da favela importam.

Ver também: EDITORIAL MRT: Lutar por todas as Ágathas




Tópicos relacionados

Ágatha Félix   /    Wilson Witzel   /    PM   /    violência policial   /    Política

Comentários

Comentar