RACISMO

NOVO destila racismo contra deputadas do PSOL na ALERJ

De política nova, que não tem nada, Alexandre Freitas segue passos bolsonaristas ao associar deputadas negras do PSOL vindas de favelas ao crime organizado.

sexta-feira 7 de agosto| Edição do dia

Imagem: Ancelmo Góis/Reprodução

Em sessão no plenário da ALERJ, deputado do partido NOVO associou as deputadas do PSOL, Mônica Francisco e Renata Souza ao crime organizado pelo fato de ambas virem de origem de favelas do Rio de Janeiro.

Demonstrando um claro ódio aos moradores de favela e um racismo explícito, Alexandre Freitas demonstrou mais uma vez que seu partido o NOVO, nada se diferencia das declarações de tipo bolsonaristas e da classe capitalista brasileira em seu racismo intrínseco, fruto da origem escravocrata.

Defensores dos empresários e da precarização da vida da classe trabalhadora, que de novo não tem nada, mantendo uma visão odiosa que negros e moradores de favela são automaticamente criminosos, deputado afirmou: "Coincidentemente, duas deputadas do Psol vieram de comunidades onde a facção que é mais violenta domina essas comunidades. Então eu convido a deputada Mônica e a deputada Renata, da gente ir às suas comunidades para conversar com os vagabundos que estão lá. Junto com a polícia, obviamente. Pois aí elas vão parar de falar tanta bobagem e parar de chamar a polícia do Rio de Janeiro de racista".

Sessão discutia a implementação de câmeras em viatura policiais no estado do Rio de Janeiro, em sua fala com conteúdo racista, defende assim também a atuação da polícia fluminense, que mesmo em meio a pandemia assassinou garotos João Pedro e Matheus e leva uma guerra contra a população pobre e das favelas.

"Ser levianamente associada a uma facção criminosa por um deputado é mais uma violência que enfrento na Alerj. Não aceito que nenhum parlamentar use sua branquitude para me caluniar nem me reduzir por minha origem e minha cor. Sou uma mulher preta do Borel e estou Deputada Estadual, queiram eles ou não" rebateu Mônica.

Nós do Esquerda Diário nos prestamos em solidariedade às deputadas e ao PSOL fruto dos ataques racistas do NOVO e de qualquer outros de mesmo cunho e contra a população trabalhadora e suas representações.




Tópicos relacionados

Racismo Policial   /    favelas   /    Racismo   /    Alerj   /    Partido Novo   /    Eleições Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    PSOL

Comentários

Comentar