Cultura

O RAP É COMPROMISSO

Há 14 anos Sabotage foi covardemente assassinado em São Paulo

Na manhã do dia 24 de janeiro de 2003 o rap brasileiro perdia um de seus grandes nomes. Sabotage foi alvejado com quatro tiros em via pública, após deixar sua esposa, na época auxiliar de cozinha, em seu local de trabalho.

terça-feira 24 de janeiro de 2017| Edição do dia

Mauro Mateus dos Santos viveu a maior parte de sua vida na zona sul de São Paulo, principalmente na favela do Canão, mas também Vila da Paz, Boqueirão e outras, em geral presentes em suas rimas e importantes para sua trajetória. Foi no retorno para casa, depois de deixar sua esposa Maria Dalva da Rocha Viana no trabalho, que foi assassinado com quatro tiros na Avenida Professor Abraão Moraes, em São Paulo.

Sabotage, na época, inspirava milhares de jovens com suas rimas carregadas de realidade. Ele mesmo foi um exemplo de quem saiu do tráfico para fazer versos sobre a vida na periferia, a violência da polícia, o ódio, a morte em vão de milhares nas favelas do Brasil.

Sua morte gerou a prisão de Sirlei Menezes da Silva, sete anos depois do ocorrido. A polícia cogitou desavenças como motivação do crime, sugerindo alguma relação com os tempos em que Sabotage ainda estava no tráfico. No julgamento Sirlei afirmou que não tinha cometido o assassinato, e que teria sido torturado pela polícia para confessar o crime anteriormente.

Relatos de amigos e da esposa dele dão conta de que naquele momento Sabotage já não mantinha desafetos, tendo largado do tráfico há anos. Naquele momento ele tinha uma carreira brilhante, há três anos lançara o álbum "O rap é compromisso", e trabalhava também com outras parcerias e em outras produções, algo que um artista como ele jamais deixa de fazer.

Ele foi assassinado um dia antes do que seria certamente um grande momento de sua carreira. Seria uma das atrações no Fórum Social Mundial em Porto Alegre, onde se encontraria com movimentos sociais vindos do mundo inteiro para se contrapor ao Fórum Econômico Mundial em Davos sob a consigna de "Um outro mundo é possível".

O maestro do Canão teve sua trajetória interrompida, justamente nas vésperas de uma atividade política que o daria projeção internacional e o aproximaria das ideias de esquerda presentes no Fórum. Bem pudera, suas inspirações musicais eram fortes, como Chico Buarque, Afrika Bambaata e Barry White. Teria um futuro brilhante pela frente, podendo fazer eclodir seus versos por todas as quebradas, inspirando a molecada a lutar contra a vida do crime e buscar seus direitos.

Hoje, ainda é lembrado nos palcos por aqueles com que dividiu experiências, como RZO e Racionais. Inclusive um álbum póstumo dele foi lançado em 2016. Além de seus antigos parceiros de rimas, as novas gerações do RAP também carregam a mensagem de seu legado. O sentido de "o rap é compromisso" se faz presente nas batalhas de rima, slams, improvisos. E foi falando sobre a vida da população negra e pobre da periferia, que sofre com a fome, desemprego, chacinada pela polícia, que conseguiu traduzir em poesia o sentimento que corria em suas veias que o fez batalhar por sua vida e de seus próximos.

Sabotage PRESENTE!




Tópicos relacionados

Música   /    Cultura

Comentários

Comentar