Educação

EDUCAÇÃO PÚBLICA

Estudante faz RAP em apoio à luta dos professores e critica políticos

A juventude tem protagonizado importantes lutas em todo o mundo diante do cenário de ajustes econômicos e das manifestações das opressões. Abaixo, Gabriel Gangsta, estudante da rede pública de Campinas, fez um rap em defesa dos professores e contra os políticos do regime político.

quarta-feira 1º de julho de 2015| Edição do dia

A juventude tem protagonizado importantes lutas em todo o mundo diante do cenário de ajustes econômicos e das manifestações das opressões (machismo, racismo, LGBTfobia, etc).

Desde as jornadas de junho de 2013, conforme já mencionamos aqui, há uma nova sensibilidade e disposição de luta entre os jovens. Uma insatisfação diante dos ataques dos governos e da falta de perspectiva de um futuro promissor.

Durante os 92 dias da greve dos professores do Estado de São Paulo, estudantes de diversos municípios se solidarizaram com a nossa luta. Ocuparam às ruas, promoveram debates com a comunidade escolar e nas redes sociais, escreveram cartas de apoio, entre outras ações. Todas expressavam o desejo de transformação e a angústia de quem vive cotidianamente a precarização da educação, a repressão nas ruas e a falta de espaços de cultura, lazer e esportes para a juventude.

Gabriel Gangsta, estudante da rede pública de Campinas – SP (E. E. José Maria Matosinho), fez um RAP em apoio à luta dos professores. A campanha impulsionada pelo Esquerda Diário ganhou espaço nas reflexões e nas rimas da juventude ”Tá aberta a campanha de uma ideia promissora. Que todo político ganhe igual a uma professora”.

Gabriel Gangsta – Mais de 10.000

[Parte 1]
Tudo vale no país com 5 estrelas na camisa
Onde governante demagogo na cabeça de prof pisa
Tá aberta a campanha, de uma ideia promissora
Que todo político ganhe igual a uma professora

Educador é quem prepara o meu futuro e o seu
Quem Explica mais de 1000 vezes, se o aluno não entendeu
Faz o possível pra lecionar, por míseras moedas
Em escolas sem estrutura que o governo corta a verba

Fala o Alckmin que a greve na verdade não ocorreu
Mas na rua foram mais de 10.000 que se comprometeu
Ao contrário do que a FOLHA fala não saíram derrotados
E sim de cabeça erguida orgulhosos pelos seus atos

De ousar levantar e lutar por um ensino de qualidade
Para que todos nós um dia se forme na universidade
E não termine com a lata na quina, matando ou morrendo por uma pepita
De glock, oitão ou com a algema na mão, ouvindo a voz de prisão da policia

REFRÃO:
Nas trincheiras só professor inconformado que trava a guerra
Contra porco de terno e gravata, são mais de 10.000 que fecha
Um por todos, todos por um, todos pela educação
Se é um país de todos então abre a escola e fecha a prisão (2X)

[Parte 2]
Tô armado de conhecimento com mais dois pentes lotados
Jovem informado é periculoso pro Estado
Desprendido de mídia, com ideologia e senso crítico
Falando a real onde as palavras são mais que tiros

Na missão prossigo e nem tardo e nem falho
A favor de quem me ensinou desde o abecedário
Tem gente que quer que eu erre e no fim, me põe a prova
Esqueceram que a meta é dez e nove e meio não rola

Marca 0 pra corja, de corruptos, mentirosos
Marca 0 pro povo, que ajudam eles com votos
Sala de aula sem professor, é sala sem alma
Menos custo pro governante que sorri e bate palma

Então sustenta sociedade, a causa e o efeito
É a luta de quem busca o que é seu por direito
Ai PM pode espancar, jogar gás, spray de pimenta
Sua bala de borracha, não apaga a ideia de resistência

REFRÃO:
Nas trincheiras só professor inconformado que trava a guerra
Contra porco de terno e gravata, são mais de 10.000 que fecha
Um por todos, todos por um, todos pela educação
Se é um país de todos então abre a escola e fecha a prisão (2X)
Hé, a luta sempre vai persistir
Até o último de nós cair
Sem professores, não tem futuro
Só grades, Só muros
É desse jeito, Gabriel Gangsta no ar
Muita Paz!!




Tópicos relacionados

Greve professores SP   /    Educação

Comentários

Comentar