×

Corrupção no MEC | Damares sai em defesa de Milton Ribeiro: “pessoa amada e honrada, íntegra e correta”

O ex-ministro do MEC foi preso nesta quarta (22) pelas as acusações de desvio de verba e facilitar negociações de pastores lobistas.

quarta-feira 22 de junho | Edição do dia

Na tarde desta quarta-feira (22), a ex-ministra Damares Alves, saiu fazendo declarações em apoio ao ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, que foi preso hoje mais cedo pela PF por conta do escândalo do desvio de verbas públicas para favorecer pastores aliados do presidente Bolsonaro. Segundo Damares, Ribeiro irá “provar sua inocência”.

Em entrevista para “À coluna”, Damares disse que está “surpresa e triste” e que Ribeiro “sempre se mostrou uma pessoa íntegra".

“Ele [Milton Ribeiro] sempre se mostrou uma pessoa íntegra e correta, já não posso falar o mesmo do tal pastor lobista Arilton [que também foi preso na operação de hoje], que na minha opinião não tem nada de pastor”, disse Damares.

Milton Ribeiro é inimigo declarado da educação pública, atacou em vários momentos as universidades públicas e fez de tudo para colocar a verba da educação nas mãos de pastores aliados de Bolsonaro. A ação da Polícia Federal, batizada de Acesso Pago, investiga a prática de “tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos” do FNDE.

Milton Ribeiro é preso por desviar dinheiro do MEC a pastores aliados de Bolsonaro

Milton Ribeiro também é pastor, assim como Damares Alves. Além de estarem sempre fazendo de tudo para auxiliar as cúpulas das igrejas durante seus cargos no Governo Bolsonaro, ambos são pastores anti-abortos e já fizeram declarações absurdas contra o procedimento e contra a vida das mulheres. Sendo até contra os procedimentos já garantidos por lei. Recentemente vimos o caso da menina de 11 anos vítima de estupro que teve seu procedimento de aborto negado e negligenciado por uma juíza anti-aborto que utilizou do seu poder no cargo judiciário para impedir que o procedimento desse continuidade.

Veja também: No Brasil de Bolsonaro, judiciário machista nega aborto legal à criança vítima de estupro

Caso de corrupção, ataques ao direito das mulheres como o aborto e entre outros, é uma das pequenas a mostra dos perigos que existe entre envolver o estado com igreja, onde seus dogmas mais reacionários ataca os direitos a educação e os direitos à vida, principalmente das mulheres, negras e setores mais oprimidos no qual o bolsonarismo e a extrema direita odeia e destila o seu ódio.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias