Política

Mulheres indígenas ocupam Fundação Nacional de Saúde em Brasília

Nesta segunda-feira (12) um prédio da Fundação Nacional de Saúde, em Brasília, foi ocupado por cerca de 300 mulheres indígenas que estão reivindicando seus direitos de melhorias na saúde. O nome do ato é “Território: nosso corpo, nosso espírito”.

terça-feira 13 de agosto| Edição do dia

Foto: Sergio Lima via Getty Images

"Não estamos aqui porque é bonito ou fácil. Se não tem lugar para as mulheres indígenas, não vai ter pra ninguém" diz uma das manifestantes.

Desde o último sábado, líderes indígenas estão reunidas para a Marcha das Mulheres Indígenas. Até essa segunda-feira, elas já tinham promovido palestras, debates e atividades culturais. Hoje centenas dessas mulheres ocuparam um prédio da Fundação Nacional de Saúde, afirmando que vão passar a noite por lá se não entrarem em diálogo com elas. As manifestantes esperam por uma reunião para tratar o tema da vida da mulher indígena, em especial no que diz respeito à sua saúde.

Durante o processo de ocupação, seguranças tentaram conter a manifestação, mas as indígenas conseguiram continuar e ingressar no prédio. O grupo manifestante tentou uma conversa com a chefe da secretaria, Silvia Waiãpi, que é uma mulher indígena militar, escolhida pelo governo Bolsonaro para o cargo, mas não a toa, ela não atendeu as manifestantes. Segundo informações, ela esvaziou o seu setor quando as manifestantes chegaram.

A atitude da chefe de secretaria é apenas mais uma demonstração de que esse governo não quer dialogar e refletir os direitos das populações indígenas. Pelo contrário, querem precarizar a vida dos indígenas, invisibilizar sua existência e acabar com as demarcações de terras indígenas, para poder entregar essas terras nas mãos do Agronegócio e das Mineradoras.




Tópicos relacionados

Indígenas   /    Povos indígenas   /    Política

Comentários

Comentar