Política

CORREIOS

Fraudes no Postalis ganham a mídia em operação da Polícia Federal

sexta-feira 18 de dezembro de 2015| Edição do dia

Mais uma vez a corrupção no Postalis repercutiu em toda a mídia. Como desenvolvimento da CPI dos Fundos de Pensão, que investiga fraudes nos fundos de pensões das principais empresas estatais, a Polícia Federal deflagrou operação nesta quinta-feira, 17, a Operação Positus.

A Positus apura irregularidades no fundo de pensão, controlado pelo PT e PMDB, que teriam ocorrido entre 2006 e 2011. Estão entre os investigados o ex-presidente Alexej Predtechensky e o ex-diretor financeiro Adilson Florencio da Costa. A PF apura operações envolvendo a criação de dois fundos de investimentos que foram ingeridos pela empresa Atlântica Administradora de recursos.

O inquérito descobriu que os valores dos dois fundos foram transferidos para os Estados Unidos e passaram a ser movimentados por ordem da Atlântica, de propriedade dos empresários Fabrizio Dulcetti Neves e André Barbieri.

Já existem denúncias apontando as irregularidades na gestão dos fundos há muito tempo, mas a situação explodiu no início do ano, quando o conselho deliberativo tentou impor que os trabalhadores deveriam aumentar suas contribuições com o Fundo para repor o rombo bilionário nas finanças.

Como dissemos naquele momento, ainda que a operação, a exemplo da Operação Lava-Jato, exponha e legitime o questionamento necessário à corrupção, não podemos ter confiança ou ilusões em um processo conduzido institucionalmente através de uma CPI, composta por senadores igualmente envolvidos em diversos esquemas corruptos e parte constituinte de uma “democracia”degradada, fisiologista e a serviço de meia dúzia de capitalistas possa ser o setor responsável pela investigação e punição pelos responsáveis pelas fraudes. Seus movimentos são pautados por interesses políticos igualmente sujos, de apenas fazer pesar a crise política contra o governo. Tampouco podemos nos iludir com a posição de Giovanni Queiroz, atual presidente da empresa, que prontamente soltou um Primeira Hora se precavendo, e tentando mostrar que esta fazendo tudo para solucionar os problemas do Postalis, tentando posar bem na foto em uma cena onde acaba de chegar, cujo único interesse é manter o controle da empresa por políticos carreiristas como ele.

O que precisamos é de uma investigação independente dos próprios trabalhadores, que vise a punição dos responsáveis, que devem ter os bens confiscados para cobrir os prejuízos, e mais do que isso, temos que defender que o controle tanto do fundo quanto da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos seja dos próprios trabalhadores, e não uma moeda de troca entre os partidos da ordem para enriquecer e nos explorar.

Foto: Rovena Rosa/ Agencia Brasil
(Delegados da Polícia Federal falam sobre a Operação Positus




Tópicos relacionados

Correios   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar