Mundo Operário

GREVE DOS PETROLEIROS

Petroleiros e apoiadores bloqueiam refinarias no RS

Apesar da justiça e do governo terem tentado impedir, nesta quarta-feira (30) a refinaria Alberto Pasqualini, na região metropolitana de Porto Alegre, segue paralisada pelos petroleiros em greve.

quarta-feira 30 de maio| Edição do dia

Desde segunda-feira (28) os petroleiros se mobilizam para preparar uma greve que a CUT já vinha adiando desde o início de maio, e que iniciou oficialmente nesta quarta-feira. Na manhã de hoje outras categorias e movimentos sociais fizeram um ato em apoio à greve.

A polícia reprimiu os apoiadores de sindicatos e movimentos sociais, que faziam um ato próximo à refinaria. A RBS, filiada da Rede Globo no RS, tentou justificar a repressão alegando que era com o objetivo de desobstruir a via, sendo que o ato sequer obstruia a via naquele momento. O que trancou completamente o trecho foi justamente a repressão da polícia.

O ato convocado como parte do Dia Nacional de Lutas das centrais sindicais também chamava a apoiar acriticamente o movimento de caminhoneiros, que desde a semana passada bloqueia estradas para reivindicar mais subsídios aos empresários do transporte. Este movimento reacionário, cuja base se mostra cada vez mais apoiadora de Bolsonaro e pede intervenção militar, vem fortalecendo a direita nacionalmente. Apesar disso as centrais sindicais e parte da esquerda tratam como se fosse uma mobilização progressista e não um movimento a serviço dos interesses das patronais.

A CUT, que adiou tanto quanto pode a greve dos petroleiros, agora decreta 72 horas de greve na véspera do feriado para tentar "segurar" a categoria. Enquanto isso Temer segue a venda da Petrobrás, fazendo com o que a classe trabalhadora e o povo paguem pela crise. Para enfrentar a privatização da Petrobrás é necessário se enfrentar com os interesses patronais, e não apoiá-los como fazem hoje as centrais sindicais e a esquerda. E esse enfrentamento pode e deve ser dado pelos petroleiros, com independência de classe e pressionando as direções por uma greve por tempo indeterminado e por um dia de paralisação nacional para lutar pela Petrobrás 100% estatal controlada pelos trabalhadores e pelo povo.

As refinarias da Petrobrás estão paralisadas em todo o país. É necessário todo o apoio aos trabalhadores. A greve já inicia se enfrentando com a justiça e o governo, que prometem multas e colocaram na ilegalidade o movimento.




Tópicos relacionados

Rio Grande do Sul   /    Privatização da Petrobras   /    Governo Temer   /    Porto Alegre   /    Caxias do Sul   /    Greve da Petrobras   /    Privatização   /    Crise da Petrobrás   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar