Educação

UFRGS

Todos ao ato no dia 09 por nenhum cotista a menos na UFRGS

As cotas raciais e sociais são uma conquista do movimento negro no Brasil. Os indeferimentos de matrícula são uma forma da reitoria da UFRGS barrar o acesso dos cotistas, sendo que alguns chegaram a ter a matrícula cancelada neste ano. Na próxima quinta (09) às 12h, em frente à reitoria, ocorrerá um ato pela garantia do direito de matrícula integral de todos os indeferidos e por nenhum cotista a menos.

segunda-feira 6 de agosto| Edição do dia

Todos os anos e de diferentes formas a reitoria da UFRGS ataca os estudantes cotistas. Com atos e ocupações da reitoria o movimento negro e o movimento estudantil têm conseguido defender esse direito. Além disso, os cortes nas bolsas, moradia, as mudanças no RU, as reduções de vagas e horários, e todos os ataques do governo afetam principalmente os estudantes cotistas, que já enfrentam enormes dificuldades para se manter na universidade e concluir seus cursos. Tudo isso escancara o caráter racista e elitista da UFRGS, da burocracia acadêmica, do Conselho Universitário e da reitoria, que é uma correia de transmissão da política do governo.

O DCE da UFRGS aposta em negociações com essa reitoria, inimiga dos estudantes, e em demorados processos judiciais para dar resposta aos colegas indeferidos. Os processos na justiça são sim importantes mas sua efetividade está subordinada à pressão dos estudantes. Mais uma vez o DCE não aposta na força da mobilização e inclusive não faz nem o mínimo com o que poderia para contribuir ao movimento em defesa dos indeferidos, pois não divulga os nomes de estudantes indeferidos que os buscaram sobre o problema. Funciona mais uma vez como um entrave e como uma secretaria da reitoria.

Desde o semestre passado estudantes do diretório acadêmico do curso de Teatro começaram a se organizar para lutar pelo direito de matrícula regular dos indeferidos. Conseguiram mobilizar representantes de outros DAs, assim como também atrair e ajudar a organizar estudantes indeferidos e ativistas de outros cursos.

Na próxima quinta-feira (09) ocorrerá um ato organizado a partir destas reuniões, às 12h em frente à reitoria. É fundamental a presença de todos os estudantes cotistas e indeferidos, assim como também do conjunto dos estudantes da UFRGS, que precisam tomar para si a defesa do direito de matrícula regular dos cotistas. Com os cortes na pesquisa anunciados por Temer é necessário uma grande unidade na ação para pressionar a reitoria e o governo.

Confirme presença no evento do Facebook e se some à mobilização. Nenhum cotista a menos!




Tópicos relacionados

Racismo   /    Rio Grande do Sul   /    UFRGS   /    Cotas étnico-raciais   /    Cotas Raciais   /    Porto Alegre   /    Educação   /    Negr@s   /    Juventude

Comentários

Comentar