Educação

RIO DE JANEIRO

Picciani sugere que Pezão peça que UERJ se torne Federal

O presidente da Alerj sugeriu que governador peça a União que assuma a gestão da Universidade Estadual. Pezão não ainda não se pronunciou sobre o assunto.

quarta-feira 11 de janeiro| Edição do dia

Jorge Picciani (PMDB), presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), ao governador Luiz Fernando Pezão que entre com um pedido oficial que buscasse a federalização da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). "A UERJ tem 136 unidades espalhadas pelo Rio. O estado não tem condições de bancar isso", disse Picciani em entrevista ao O Globo.

Apesar de não haver nenhum impedimento legal, o processo de federalização implica em uma série de mudanças que intrigam as partes envolvidas. A transferência de imóveis, propriedades entre outros bens físicos da instância administrativa estadual para a federal é uma dúvida. Sem mencionar os servidores públicos, que prestaram concurso para o Estado e passariam a ser funcionários federais.

Além de universidade, Picciani ’aconselhou’ Pezão a pedir a federalização de "sete ou oito" unidades de referência de Saúde. Para ele: "Tudo o que for de alta complexidade deve ir para o Governo Federal. O estado assumiu essa função como se o dinheiro não tivesse fim."

O Rio de Janeiro enfrenta a maior crise financeira vivida entre os estados do país. Milhares de funcionários públicos estão a meses sem receber seus salários e benefícios trabalhistas. Os trabalhadores da UERJ receberam uma parcela de seu salário de novembro apenas agora e não tem previsão de data para receber o salário de dezembro e décimo terceiro. O Estado já entrou mais de uma vez com pedido formal de recuperação financeira para o Governo Federal.

Em tempos de crise aguda, as portas que os políticos dos empresários e grandes proprietário de terra tem aberto como saída para situação é jogar nas costas dos trabalhadores os prejuízos, abrindo espaço para mais privatização, redução salarial e corte de direitos sem que os seus privilégios sejam mencionados na conta.




Tópicos relacionados

UERJ   /    Educação   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar