Educação

EDUCAÇÃO

Weintraub dá prazo relâmpago para estudantes informarem prejuízo nas notas do Enem

segunda-feira 20 de janeiro| Edição do dia

Os erros na correção das provas do Exame Nacional do Ensino Médio que prejudicaram no mínimo alguns milhares de estudantes claramente não são uma prioridade para o MEC de Weintraub e para o Inep, que aplica a prova. Estudantes terão até as 10h, ou seja, daqui a pouco, para enviar ao email do Inep o pedido de correção.

É simplesmente um absurdo este prazo relâmpago dado pelo Inep. Fica claro a intenção: abafar o caso, não verificar erros na correção. Com isso, é claro, prejudicar os estudantes que eventualmente tenham tido a prova com a correção errada é um "efeito colateral" da gestão de Weintraub. Nem tão colateral assim se considerarmos o ódio de sua gestão contra estudantes, professores e a educação de conjunto.

Os estudantes deverão enviar até daqui alguns minutos o pedido de correção para o Inep. As notificações devem ser enviadas ao órgão pelo e-mail enem2019@inep.gov.br, com nome completo e CPF.

Leia mais: ’Erros’ no Enem são parte do projeto de desmonte da educação dirigido por Weintraub

Abraham Weintraub foi mudando o discurso da revelação das notas até minutos atrás, entrando em contradição com o presidente do Inep. De afirmar que eram inconsistências, até que erro atingiu "alguma coisa como 0,1%" dos candidatos, mais ou e menos 3,9 mil candidatos e depois, Alexandre Lopes, com a presidência do Inep afirmando que o erro poderia ter afetado 1% - 39 mil pessoas e depois recuando, dizendo que "não chega a 9 mil". Tudo isso mostra que o MEC e o Inep não sabem propriamente quantos estudantes foram afetados, e com esse prazo relâmpago, também não se importam. Tudo para encerrar o caso bem rápido, não importa que estudantes saiam no prejuízo em suas notas.




Tópicos relacionados

Abraham Weintraub   /    MEC   /    Educação

Comentários

Comentar