Política

SÃO PAULO

SP tem 12 mil novos casos e 2º maior número de mortos em 24h: a política de Doria é responsável

Nesta terça, 14, o Estado de São Paulo registrou o 2º maior número de mortes em 24 horas desde o início da pandemia e, também, mais de 12 mil novos casos de Covid-19, sem contar a enorme subnotificação pela falta de testes massivos. Este número é quase o dobro do registrado no dia anterior e mostra que a política de “combate à pandemia” de João Doria não passa de demagogia.

quarta-feira 15 de julho| Edição do dia

Os trabalhadores e a população de São Paulo seguem enfrentando a pandemia do novo coronavírus sem qualquer ajuda efetiva além de meras palavras de João Doria. Isso se mostra pelos números: no dia 14 de junho foi registrado o segundo maior número de mortes em 24 horas desde o início da pandemia, meses atrás. Também se mostra nos dados um aumento no número de novos casos registrados. Dado o índice de mortalidade, isso provavelmente vai significar, nos próximos dias, um novo aumento no número de mortes, já que testes massivos, leitos com respiradores para toda demanda, contratações de profissionais de saúde, licenças remuneradas para todos que precisem... nada disso está nos planos do governo do Estado.

Pelo contrário, Doria está inclusive ignorando passos do seu próprio plano de reabertura econômica de SP, tendo saltado da fase vermelha, a mais restrita, para a fase amarela, sem passar pela laranja. Ou seja: frente a um aumento colossal de casos, o que o governador playboy faz não é preparar o sistema de saúde e a cidade para salvar vidas, e sim abrir bruscamente o comércio para agradar aos grandes patrões e expor funcionários e pequenos comerciantes, que deveriam ter um auxílio emergencial mensal de ao menos R$2.000.

Nisso, Doria e Bolsonaro são bastante parecidos. Bolsonaro é um negacionista, obscurantista da pior espécie, que acabou ele mesmo infectado com o vírus. Faz demagogia com os setores mais precários da população, usando uma falsa dicotomia entre vidas e empregos, quando na verdade ele não se preocupa com nenhum dos dois. Doria posou de oposição à Bolsonaro e de governador sensato, mas nunca foi mais que um demagogo que, como mostra agora sem sombra de dúvidas, quer salvar os empresários em primeiro lugar e as vidas trabalhadoras, mais essenciais que nunca, que pereçam!

E não apenas de descaso é feita a política de Doria, mas também de uma orientação covarde e assassina à sua polícia que aumente a perseguição ao povo pobre e negro. Em meio à pandemia a PM de SP bateu records, com 442 assassinatos. Esses cães de guarda, cuja farda os separa de qualquer trabalhador, estão se inspirando nos assassinos de George Floyd nos EUA, e nos dois últimos dias fizeram uma senhora de 51 anos e um jovem entregador de app em luta dizerem “eu não consigo respirar”. É preciso nos inspirar na luta em curso dos negros e trabalhadores nos EUA contra o racismo e a violência policial, pois basta de morrer pela Covid, pelos lucros dos patrões e pelas mãos da polícia.




Tópicos relacionados

Crise do Coronavírus   /    pandemia   /    Coronavírus e racismo   /    Coronavírus   /    PM São Paulo   /    João Doria   /    Política

Comentários

Comentar