Internacional

ATRITOS DIPLOMÁTICOS NA EUROPA

Reino Unido expulsa 23 diplomatas russos pelo caso de ex-espião envenenado

O Reino Unido anunciou na quarta-feira que expulsará 23 diplomatas russos, o maior número nos últimos 30 anos, pelo envenenamento de um ex-espião e sua filha. Alta tensão.

quinta-feira 15 de março| Edição do dia

O Reino Unido expulsará 23 diplomatas russos, o maior número nos últimos 30 anos, depois que Moscou não esclareceu por que o ex-espião Sergei Skripal e sua filha Julia foram envenenados com um agente nervoso russo, anunciou o primeiro-ministro hoje, Theresa May.

A tensão entre o Reino Unido e a Rússia aumentou quando May deu ao Kremlin um ultimato para explicar o envenenamento do duplo espião. O prazo expirou à meia-noite de terça-feira e a Rússia esclareceu que não tinha nada para explicar por que Londres deu um salto no confronto anunciando a expulsão de diplomatas, entre outras medidas.

Em uma declaração ao Parlamento, o chefe conservador do governo britânico considerou que a Rússia reagiu "com completo desrespeito" à "seriedade" do incidente em 4 de abril, apesar de este país lhes oferecer uma "oportunidade" de eles fornecerão uma explicação.

May disse que o número de diplomatas expulsos, que foram identificados como "agentes de serviços secretos", é "o maior em 30 anos" e que eles terão uma semana para sair deste país.

Segundo ele, o Kremlin reagiu "com sarcasmo, desprezo e resistência" ao que aconteceu e sua resposta "mostrou um completo desprezo pela gravidade desses eventos".

A Rússia não forneceu um argumento "credível" nem esclarecido, como pediu Londres, "por que tem um programa de armas químicas contra a lei internacional".

Tensão e sanções contra a Rússia

O incidente em Salisbury representa "um uso ilegal da força pelo Estado russo contra o Reino Unido", de acordo com maio, que anunciou que esse governo aumentará o número de cheques aos cidadãos russos que chegam ao país.

Além disso, anunciou que Londres congelará "os bens do Estado russo sempre que houver evidências de que eles poderiam ser usados para ameaçar a vida ou propriedade de cidadãos ou residentes no Reino Unido".

May também pediu ao Conselho de Segurança Nacional, em uma reunião realizada na manhã de quarta-feira, acordar "medidas imediatas para desmantelar a rede russa de espionagem no Reino Unido" e cancelou o convite ao Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, para este país.

Como parte desta bateria de medidas adotadas por seu Executivo, nenhum representante da família real britânica ou dignitários deste país irá participar deste verão para a Copa do Mundo da Rússia.

O anúncio do primeiro ministro veio depois que Moscou ignorou o prazo estabelecido pelo governo de Londres para explicações, antes da última meia-noite, de como um agente nervoso militar russo envenenou o ex-agente de 66 anos sua filha, 33, que permanece em "condição crítica".

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, disse hoje que seu país não tem conexão com o envenenamento do duplo espião e sua filha, e que considera que as acusações sem evidências são inaceitáveis.

Após a escalada de tensão entre os dois países e as sanções anunciadas em maio, o legislador russo Vladimir Dzhabarov caiu quarta-feira que não descartou que Moscou decide expulsar mais de 23 diplomatas britânicos em resposta à medida.

Por sua vez, a Embaixada da Rússia no Reino Unido denunciou em um comunicado no seu site que considera "este passo hostil como uma medida absolutamente inaceitável, injustificável e míope".




Tópicos relacionados

Rússia   /    Internacional

Comentários

Comentar