Sociedade

RIO DE JANEIRO

Por negligência de Crivella, túnel desaba na Zona Sul do Rio

Parte da estrutura do Túnel Acústico Rafael Mascarenhas na zona sul do Rio que liga a Gávea a Rocinha desabou hoje (17) em cima do ônibus da Linha Troncal 4 e foi fechado em seus dois sentidos. Até agora não se tem notícias de feridos no local e o Centro de Operações determinou que a cidade entrou em estágio de crise.

sexta-feira 17 de maio| Edição do dia

Desde ontem, o município do Rio vem sofrendo com as fortes chuvas, houve um deslizamento de terra ontem na Av. Neimeyer, outra via de ligação entre a zona sul e a zona oeste que está interditada, recentemente no mês de fevereiro houve outro deslizamento onde morreram duas pessoas.

A infra-estrutura precária de toda a cidade do Rio é evidente, basta circular pelos bairros, sobretudo os da zona norte e oeste, bem como as áreas de periferia e favela pra ver o abandono e descaso de políticos que se preocupam antes com seus interesses pessoais e com os lucros de empresários do que com a qualidade de vida da população carioca. São inúmeros os exemplos disso num passado bem recente, as enchentes do primeiro semestre desse ano, os deslizamentos em várias áreas do Rio que deixou no morro da Babilônio na zona sul uma mulher ferida e outra morta; o desabamento pela 3ª vez seguida da ciclovia; as enchentes que desalojaram varias famílias e que destruí suas casas, etc.

Nada disso é por acaso, ou como insistiu o prefeito Marcelo Crivela são “tragédias” causadas pela natureza, fato é que todos esses absurdos que vêm acontecendo com a população carioca e que ontem e hoje tiveram mais um episódio de deslizamento e do desabamento da estrutura do principal túnel da zona sul, é fruto da ganância dos capitalistas.

Eles não se preocupam com a segurança da população, quando fazem alguma obra pública estão preocupados em encher o bolso de dinheiro de empresários e empreiteiros, e de ganhar com negociatas corruptas por baixo do pano! O povo e os trabalhadores ficam de fora de seus interesses que são antes o lucro do que a qualidade de vida da população, deixando escancarado, como foi hoje no caso do desabamento do túnel, que nossas vidas não valem nada.

Os governantes têm um completo descaso com as barbaridades como os deslizamentos e desabamentos. Preferem priorizar o sagrado pagamento da dívida pública do que as milhares de vidas que ano após ano sofrem as consequências de um desastre que não tem nada de natural, é fruto da falta de planejamento e investimento dos políticos na prevenção e proteção da população. É necessário pôr fim ao pagamento da dívida pública e que esses recursos sejam empregues para o financiamento de um plano de obras públicas que resolva os problemas de infra-estrutura das cidades que levam a essas tragédias anunciadas, que possam também gerar emprego para a população que precisa.




Tópicos relacionados

Plano de obras públicas   /    Marcelo Crivella   /    Rio de Janeiro   /    Sociedade

Comentários

Comentar