Política

CENSURA

Guedes encomenda dossiê para monitorar jornalistas e personalidades contrárias ao governo

Foi divulgado nesta terça-feira, 01/12, pelo UOL, a existência de uma lista de 81 “influenciadores” cujas postagens em redes sociais foram e seguem sendo monitoradas pelo governo.

terça-feira 1º de dezembro de 2020| Edição do dia

Foto: AFP/Arquivos

Na matéria do UOL, divulgada hoje, é revelada a contratação da empresa BR+ Comunicação para a elaboração de uma tabela com os nomes de 81 personalidade consideradas “influenciadores”, dentre os quais 44 são jornalistas. Além destes, YouTubers e outros influenciadores digitais, como Felipe Neto, Jones Manoel, Nathália Rodrigues, e outros são listados.

O levantamento, intitulado Mapa dos Influenciadores, foi feito através de um contrato do qual a BR+ Comunicação é parte, no valor de R$ 2,7 milhões, com o Ministério da Ciência e Tecnologia, aproveitado pelo Ministério da Economia. Nele, influenciadores são monitorados de acordo com suas postagens relativas ao governo em diversos “temas sensíveis”, em especial quanto a posicionamentos relativos ao Ministério da Economia e a Paulo Guedes.

A listagem inclui as redes de figuras como Vera Magalhães, Guga Chacra, Xico Sá, Hildegard Angel, Carol Pires, Claudio Dantas, Luis Nassif, Brunno Melo, Igor Natusch, George Marques, Palmério Dória, Flávio V. M. Costa, Márcia Denser, Rachel Sheherazade, Luís Augusto Simon, entre vários outros.

Na tabela que acompanha o estudo os pesquisados são divididos entre três categorias, "detratores", "favoráveis" e "neutros informativos", sendo os dois primeiros grupos os maiores, contando com 51 e 23 nomes, respectivamente. Aos “favoráveis”, o estudo sugere ao governo ações como “lives” e “parceria para divulgar ações da Pasta [da economia]". A figuras classificadas como “detratoras”, sugestões ao governo incluem “Monitoramento preventivo das publicações do influenciador. Envio de esclarecimentos para eventuais equívocos que ele publicar”. Também é frequentemente mencionada a criação de publicações pelo governo que “respondam indiretamente” a postagens de determinadas figuras.

O governo Bolsonaro corre atrás de conter os danos a sua reputação monitorando influenciadores que considera “detratores”, em muitos casos por divulgarem informações objetivas sobre seu governo, e os ataques que impõe às vidas de milhões de trabalhadores. Repudiamos essa ação autoritária, e reafirmamos nossa luta contra Bolsonaro, Mourão, Guedes, e todo o projeto que querem impor contra a classe trabalhadora em favor dos empresários. Assim como nosso comprometimento com a liberdade de imprensa e de denunciar esse governo a todo passo, por todos os seus ataques!




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro   /    Censura   /    Política

Comentários

Comentar