Negr@s

ESCRAVIDÃO MODERNA

Fiscal do trabalho escravo diz que nova portaria retrocede mais de 20 anos

A auditora fiscal do trabalho Marinalva Dantas, que chefiou o grupo móvel do MTE (Ministério da Trabalho e Emprego) em operações que resgataram cerca de 2.500 pessoas em situação análoga à escravidão, afirmou em entrevista que, alterar o que é considerado trabalho escravo, nos faz retroceder em mais de duas décadas.

sexta-feira 27 de outubro| Edição do dia

A afirmação da auditora é baseada na experiência em que viveu em 1995, quando com o grupo móvel de fiscalização visitou o Estado de Alagoas, onde 20 mil pessoas foram flagradas em situação análoga à escravidão, porém por falta de definições específicas, aquelas pessoas não puderam ser resgatadas.

Essa alteração se trata de uma portaria que cria regras que dificultam a fiscalização e punição de patrões que realizam trabalho escravo. Essa portaria foi publicada pelo Ministério do Trabalho no Diário Oficial da União. A portaria foi publicada à mando do presidente golpista Michel Temer, que atende ao pedido da bancada ruralista, em troca de votos para se livrar das denúncias contra ele.

É mais uma cara da ofensiva contra os trabalhadores que com a aprovação da reformar trabalhista abriu espaço para uma ofensiva ainda maior. Esse fato relatado na entrevista mostra como essa medida aprovada vai condenar milhares de pessoas a escravidão, a não ter direito a própria vida. Não se trata só de um retrocesso, mas de uma política capitalista para arrancar mais lucro às custas da vida da população.

Você também pode se interessar:

Saiba quem são os 250 capitalistas que enriquecem com o trabalho escravo

Ministro do trabalho diz que portaria sobre trabalho escravo não será revogada

Trabalho escravo é modalidade do capitalismo brasileiro




Tópicos relacionados

Trabalho Escravo   /    Negr@s   /    Política

Comentários

Comentar