Educação

LUTA NAS UNIVERSIDADES

Estudantes da Unesp de SJC se mobilizam contra fechamento do curso noturno

quarta-feira 25 de maio de 2016| Edição do dia

Contra a proposta da Unesp de fechamento do curso de Odontologia noturno, oferecido pela unidade de São José dos Campos, os estudantes tem se organizado e construído uma importante mobilização, que com cerca de 100 estudantes parou a Av. José Longo, na região central da cidade, no último dia 12. A universidade argumenta que são necessárias reformas na grade curricular e, devido a essas, o curso noturno ficaria muito longo, tornando-se inviável e, por isso, deveria ser substituído por uma ampliação de 30 vagas no curso oferecido durante o dia. Os estudantes, por sua vez, concordam com a necessidade de reformas na grade, mas defendem que o curso noturno deve ser mantido.

Segundo a estudante Amanda Almeida, que participou da manifestação, disse a um jornal, “O fechamento das turmas noturnas irá prejudicar grande parte dos estudantes. Apesar de ser uma universidade pública, a maioria dos alunos precisa trabalhar durante o dia, para conseguir pagar as despesas da faculdade, que não são baratas”, além do que, “diversos projetos são realizados pelos alunos do curso noturno. O atendimento de pessoas com câncer, por exemplo, acontece somente no período da tarde e da manhã, momento em que os estudantes do curso integral estão em aula. A área de pesquisas, que é um forte da nossa universidade, também será diretamente afetada”.

Essa mobilização na Unesp de São José dos Campos acontece no período em que o corte de verbas nas três universidades é o maior em sete anos, como denunciamos aqui, “A principal fonte de recursos das três universidades é o repasse da cota de 9,57% do valor arrecadado com o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do estado, imposto que teve queda de arrecadação. Segundo o Cruesp houve uma queda de 9% no repasse às universidades, R$ 286 milhões a menos do que no mesmo período de 2015. Segundo relatam os Reitores, todo o repasse do ICMS já está comprometido com salários dos servidores, e as três estaduais têm utilizado suas reservas bancárias (poupanças).”

Por outro lado, também estamos em meio a uma grande luta das três universidades paulistas, com greves e ocupações em diversos cursos da USP e Unicamp, não só de estudantes e funcionários, mas também professores, além de vários processos de mobilização ocorrendo nos campi da Unesp. Nessa terça-feira, 24, inclusive, a Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp amanheceu completamente paralisada e na USP ocorreu um grande ato em defesa do Hospital Universitário (veja aqui e aqui) e por cotas na universidade. A unificação com as demais universidades paulistas em luta e com demais campi da Unesp fortaleceria a luta da Unesp de São José dos Campos para triunfar.




Tópicos relacionados

Educação   /    Vale do Paraíba   /    Educação

Comentários

Comentar