Educação

CRISE NA UERJ

Elevador cai na UERJ e fere trabalhador. A reitoria não se pronunciou sobre o caso

Com o rompimento de um cabo, um dos elevadores que funciona no prédio central do campus do Maracanã despencou e feriu um dos trabalhadores que estavam dentro dele.

quarta-feira 8 de março| Edição do dia

O absurdo fato, que poderia ter causado vítimas fatais dentro da universidade em decorrência direta da precarização atual de sua infraestrutura, foi relatado pelo próprio reitor a professores durante uma reunião.

Tornou-se público, contudo, não por meio de algum veículo de imprensa - já que a instituição parece não fazer questão de denunciar o caso que é consequência do corte de verbas feito pelo governo - mas sim por uma postagem feita por uma docente, Lia Rocha, que faz parte da Associação dos Docentes da UERJ (ASDUERJ):

Ainda de acordo com a professora os dois trabalhadores que se encontravam no elevador quando ele caiu são terceirizados, e atuam na manutenção dos elevadores do campus. Ela, no entanto, afirmou nos comentários de sua postagem não saber a gravidade dos ferimentos sofridos pelo funcionário.

A reitoria até o momento não se pronunciou publicamente sobre o caso e nem deu nenhuma notícia sobre o estado de saúde dos trabalhador ferido. E, ainda mais incrível: os elevadores continuam operando normalmente, sem que se saiba qual a segurança que oferecem para professores, estudantes e - principalmente - para os trabalhadores que os operam e passam grande parte do dia dentro deles. Além de estarem colocando sua vida em risco, eles estão sem receber seus salários, em um ataque a todos seus direitos mais elementares.

A responsabilidade não é apenas do governo de Pezão, que não repassa as verbas da UERJ, mas também da reitoria, que omite um caso tão escandaloso, continua operando normalmente os elevadores colocando vidas em risco, e sequer dá satisfação da renda gerada diretamente pela universidade. Exigimos saber o estado de saúde do trabalhador ferido no acidente, e que os demais elevadores sejam desativados até que se ateste sua segurança. Não podemos admitir trabalhadores sem salário colocando suas vidas em perigo por conta da negligência da reitoria e do governo!




Tópicos relacionados

Crise no Rio de Janeiro   /    UERJ   /    Educação   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar