Mundo Operário

DEMISSÕES EM MASSA

Usina Caeté, do Grupo Carlos Lyra, fecha e demite funcionários em massa

Cerca de 300 funcionários da Usina Caeté, unidade Cachoeira do Meirim, foram demitidos, logo após serem informados que a Usina seria fechada.

quarta-feira 31 de janeiro| Edição do dia

Alegando queda de produtividade nas últimas safras provocada por uma estiagem prolongada, a Usina Caeté demitiu cerca de 300 funcionários nesta quarta-feira (31) e anunciou o fechamento da unidade Cachoeira do Meirim.

Foi anunciado também que o grupo que administra a usina passará, a partir de agora, a investir no mercado de celulose, deixando de lado a atividade da cana-de-açúcar. Com isso, a Usina Cachoeira do Meirim passa a ficar desativada a partir de agora.

A Usina Caeté é parte do Grupo Carlos Lyra e foi considerada o segundo maior grupo sucroalcooleiro com sede em Alagoas no ano passado pela revista Exame. Ainda possuem mais duas sedes em Alagoas e uma em Paulicéia/SP. O grupo também atua nos segmentos da pecuária, têxtil, radiodifusão e táxi aéreo.

O grupo nasceu em 1951 e pertencia ao empresário Carlos Benigno Pereira de Lyra Neto que exerceu dois mandatos no Senado de Alagoas. Seu irmão, João Lyra, foi deputado federal por duas vezes em Alagoas e foi recentemente apontado pela Polícia Federal como responsável por entregar propina de empreiteiras ao ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB). Assinou acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF) no âmbito da Operação Turbulência.

É inadmissível que centenas de famílias sejam colocadas na rua para manutenção do lucro desses parasitas que enriqueceram às custas do suor desses trabalhadores e que ainda dominam a política e estão envolvidos em esquemas de corrupção.

Readmissão já de todos os funcionários demitidos!




Tópicos relacionados

Trabalho Precário   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar