Cultura

QUADRINHOS

Retalhos e diários dos sofrimentos em vida

As histórias em quadrinhos por ser a combinação do texto escrito (não necessariamente precisa ter) e o texto visual (o quadro) recebe tanto influências das escolas de desenho e pintura como as escolas literárias. O texto e a narrativa escrita, ou ausência dela, exprime pensamentos, falas e sentimento, mas o que determina a semântica na narrativa em quadrinhos é o próprio quadro e o estilo do desenho. Os balões de diálogo são assessórios na narrativa.

terça-feira 13 de junho| Edição do dia

Como abordei anteriormente em outros textos, as histórias em quadrinhos possui valores comunicativos que é independente da idade do leitor. Sob o prisma na análise crítica uma obra costumeiramente infantil pode ensejar valores e temas muito complexos, se a obra é infantil ou não quem define é o autor que traça qual público ele pretende dialogar, não o gênero artístico que define a idade do público, mas o autor. O mundo das comics são muito mais amplos que o imaginado, por isso trago a obra Retalhos de Craig Thompson.

As histórias em quadrinhos por ser a combinação do texto escrito (não necessariamente precisa ter) e o texto visual (o quadro) recebe tanto influências das escolas de desenho e pintura como as escolas literárias. O texto e a narrativa escrita, ou ausência dela, exprime pensamentos, falas e sentimento, mas o que determina a semântica na narrativa em quadrinhos é o próprio quadro e o estilo do desenho. Os balões de diálogo são assessórios na narrativa.

Sobre a influência de Joe Sacco, Craig Thompson, faz um desenho em preto e branco relatando sua biografia pessoal. Cabe aqui dizer de uma excelente gama de obras em quadrinhos sobre biografias pessoais, familiares e relatos de guerras e violência, entre elas Persépolis, Maus, de Spiegelman, dentro dessa linha Thompson escreve de maneira visceral os dramas de sua infância e adolescência pobre no meio rural de uma cidade rural, de Traverse city, no gélido interior do estado Michigan.

Outro lado da vida americana

A condição de terceiro mundista e de um país que nunca conseguiu uma real independência economia, como o Brasil, com sua cultura pasteurizada pelo pela indústria cultural Americana e com todo seu viés imperialista faz que o brasileiro comum idealize a vida nos EUA como o mundo de oportunidades da terra do Self Made Man. Em geral, histórias em que o personagem supera a pobreza e virá alguém na vida são as que chegam nas terras tupiniquins, no campo das histórias em quadrinhos compramos histórias para nós desterritorializadas e de personagens sobre-humanos que protegem os cidadãos dos perigos cósmicos e internacionais.

Histórias da costa oeste (Califórnia) e costa leste (Nova York), seus grandes centros, sendo o centro espacial das narrativas dos EUA. Em Retalhos, por Thompson, temos uma narrativa do outro lado americano, de um interior rural pobre tomado por igrejas protestantes americanas, e de uma família rural pobre, sem perspectiva, embrutecida pela religião, de jovens que para ganhar uns trocados recolhem pedras das plantações por um dólar a hora.

Diferente do drama familiar “Umbigo sem fundo” que é um drama hermético, ou seja fechado, psicológico e estrutural, Retalhos tem sua narrativa mais intimista e existencial. A história se centra na biografia de Thompson e seus problemas na infância e adolescência, das marcas da carestia em sua vida, de um jovem franzino, de uma família com uma figura paterna ultra repressora, neste contexto a tristeza e depressão infantil, marcas da violência sexual, e como essa faceta psicológica gerou traumas no autor e no irmão mais novo dele.

De um lado o autor-personagem relato as perseguições (Bully em inglês) dentro da escola por não estar na moda caipira, por ser pobre, de corpo franzino, com dificuldade de expressão, frente aos valentões da escola. Mostrando uma imagem muito diferente dos High School da Disney, aonde todos são amigos, mas aqui é um ambiente miserável socialmente e pobre em estrutura.

Nesse bojo o autor-personagem envolto a um ambiente depressor desenvolverá um perfil tímido, deprimido, e recluso; encontrará a salvação da miséria em vida na morte e ascensão ao reino dos céus com a palavra de Jesus. Sua educação religiosa vinda das igrejas batistas logo irá entrar em contradição com os anseios da adolescência e o desenvolvimento sexual e social de um jovem, em outra ordem a contradição dos jovens protestantes e sua moral deturpada frente a ovelha mais fiel que será Craig. O conflito de terceira ordem será a visualização que as instituições do casamento não garantem felicidade ou uma família feliz. O conflito religioso mais essencial será a negação do desenhos e outras artes(como teatro) pelas igrejas batistas no EUA.

A narrativa é fluída os recursos de flashback expressão em poucos quadros problemas e nódulos que o autor-personagem está passando ou superando. O recurso de delírios nos quadros possibilitam expressam de seus desejos e medos de maneira sublime e terrível, adquirindo os quadros um tom muito expressivo e subjetivo do autor-personagem. O preto e branco possibilita uma narrativa sóbria e contemplativa, uma excelente obra e recomendável a todos, principalmente adolescentes.




Tópicos relacionados

Cultura

Comentários

Comentar