Mundo Operário

MAIOR QUEDA DESDE 2012

Produção industrial tem recuo de 3,8% na produção em agosto

Rafaella Lafraia

São Paulo

terça-feira 4 de outubro de 2016| Edição do dia

No mês de agosto deste ano, a produção da indústria nacional recuou 3,8%quando comparada com julho, como mostra os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), interrompendo a sequência de cinco meses de resultados positivos. Esse resultado de queda é o maior desde janeiro de 2012, quando houve um recuo de 4,9% na produção.

Segundo nota do Instituto, “três das quatro categorias econômicas e 21 das 24 atividades apontaram uma redução na produção”. Os produtos alimentícios (-8%) e veículos automotores, reboques e carrocerias (-10,4%) foram os que puxaram este recuo na economia, mas a indústria extrativa; produtos derivados do petróleo e biocombustível também tiveram grande colaboração neste recuo. Somente as produções de produtos farmacoquímicos e farmacêuticos teve o desempenho de maior importância para a média global.

Como já apresentado aqui o otimismo com a recuperação do sistema fica somente no pensamento dos analistas burgueses, já que vinha se concretizando, em âmbito internacional, uma nova crise econômica.

Em meio a tal situação, várias indústrias vêm anunciando demissões em massa a meses, e as lutas dos trabalhadores acabam sempre descolada e invisibilizada, também, por não atitudes das centrais sindicais. A situação exige uma resposta política dos trabalhadores que exija das centrais sindicais a construção da greve geral contra os ajustes, demissões e pela derrubada de Temer. Essas lutas unidas podem mudar o curso do país, que deve começar por fazer com que a crise não seja descarregada nas costas dos trabalhadores.




Tópicos relacionados

Demissões   /    crise econômica   /    Crise mundial   /    Indústria   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar