Mundo Operário

COVID-19 MATA MAIS UMA TRABALHADORA DA SAÚDE

Negligência mata técnica de enfermagem por COVID-19 em MG e trabalhadores protestam

Maria Aparecida, técnica de enfermagem no Hospital Alberto Cavalcanti, em Belo Horizonte, e trabalhadora da saúde municipal de Contagem, é mais uma vítima da COVID-19 e do descaso dos governos. Trabalhadores protestaram por sua morte.

quinta-feira 23 de abril| Edição do dia

Frente ao descaso e à negligência dos governos, que não fornecem as mínimas condições de segurança aos trabalhadores da saúde, temos visto subir absurdamente o caso desses profissionais que estão na linha de frente do combate ao Coronavírus e que se contaminam em seus locais de trabalho.

No Hospital Alberto Cavalcanti, em Belo Horizonte, a técnica de enfermagem Maria Aparecida foi a primeira vítima fatal. Sua morte, que é responsabilidade dos governos Bolsonaro e Zema, e também da administração da da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), responsável pela administração do hospital onde Maria Aparecida trabalhava.

Os colegas de Maria Aparecida organizaram um protesto/ homenagem à sua colega morta pela negligência dos governos:

O que temos visto, de profissionais da saúde sem acesso a testagem, e muitas vezes sem acesso mesmo aos mais elementares EPIs, usando até sacos de lixo como avental, é uma demonstração do que os governos capitalistas reservam à saúde. O teto de gastos aprovado no governo Temer é um dos escandalosos ataques que foram implementados para garantir os trilhões de reais de pagamento da dívida pública e que hoje geram essa situação absurda, um crime contra os profissionais que estão colocando sua vida em jogo para combater a pandemia.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Saúde Pública   /    Saúde   /    Belo Horizonte   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar