Política

ATAQUE AOS SERVIDORES

Municipários são reprimidos por guardas de Marchezan na frente da Câmara dos Vereadores

Ato começou em frente a Câmara logo após de ser anunciada a votação de projetos do Executivo em regime de urgência que vai retirar direitos dos servidores do município. A categoria foi brutalmente reprimida pela Guarda Municipal e posteriormente pela Brigada Militar ao tentarem entrar na Câmara.

quarta-feira 11 de julho| Edição do dia

Na tarde de quarta-feira (11) municipários de Porto Alegre fizeram ato em frente a Câmara dos Vereadores, onde será votada projetos do Executivo que atacam os direitos dos servidores. A pedido do prefeito Nelson Marchezan, os vereadores mudaram a ordem dos projetos do Executivo, e priorizaram para votação os projetos que justamente atacam os municipários. Veja aqui.

A decisão de inverter a ordem e colocar em regime de urgência os ataques foi aprovada nesta manhã na reunião do Colégio de Líderes, onde terá quatro sessões que ocorrerá entre a noite de quarta e a manhã de sexta. Os municipários se mobilizaram em frente a Câmara e sofreram repressão pela Guarda Municipal de Marchezan.

Os guardas atacaram os servidores com spray de pimenta e arma de choque para impedir de ocuparem a Câmara. Logo em seguida a tropa de Choque da Brigada Militar chega e entra na Câmara para reforçar a repressão, com bombas de gás lacrimogênio e mais bala de borracha.

Veja o vídeo e fotos abaixo:

Logo após a repressão e o conflito com a tropa de choque, a sessão que tinha se iniciado foi encerrada, e adiada para amanhã pela manhã.

É realmente absurdo e odioso a repressão da Guarda Municipal e da Brigada Militar aos trabalhadores que querem lutar pelo seu direito. E também os ataques que Nelson Marchezan deseja tanto descarregar na categoria para continuar beneficiando os grandes empresários, e para que seus odiosos projetos sejam aprovados usa dos seu “cães de guarda” para reprimir de forma brutal os municipários que lutam para não perderem seus direitos históricos conquistados.




Tópicos relacionados

Servidores Públicos   /    Marchezan   /    Porto Alegre   /    Repressão   /    Política

Comentários

Comentar