Coronavírus

"Morreram só 5 mil pessoas", diz Paulo Guedes sobre coronavírus na China

Em afirmação absurda, Paulo Guedes minimizou as mortes de coronavírus na China. Nada de surpresa para o ministro do presidente que considerava pandemia "fantasia" como afirmou Bolsonaro. Um dia depois Bolsonaro estava fazendo live de máscara protetora.

terça-feira 17 de março| Edição do dia

Guedes afirmou nessa segunda-feira (16) que o coronavírus "mata menos que todas as doenças que tivemos aqui", em referência à dengue e febre amarela. Complementou dizendo que "Dizem que morreram só cinco mil pessoas", minimizando mortes que não param de crescer no mundo inteiro.

Guedes tenta minimizar as mortes do coronavírus pois sabe que mundialmente a doença já traz importantes impactos nas cadeias globais de valor e ameaçam a economia do mundo inteiro. Com expectativas para o PIB cada vez menores em países como EUA e China.

No Brasil após diversos circuit breakers na semana passada e na última segunda-feira, apontam para cenários cada vez piores para a economia. Paulo Guedes minimiza doença para fazer com que população trabalhe cada vez mais e seja crescentemente explorada e precarizada, do ifood ao telemarketing, com o conjunto da população não podendo trabalhar de casa.

Bolsonaro, Paulo Guedes e Dória mostram que só governam para os ricos enquanto população se expõe aos riscos da contaminação do coronavírus, indo trabalhar e pegando ônibus e trens lotados.

É necessário um plano emergencial para enfrentar a pandemia emergencial que foque na vida da população e não dos capitalistas. Para isso propomos a estatização de todos os leitos de hospitais privados, bem como a suspensão da PEC do teto de gastos para destinar dinheiro para a contenção do vírus. Apenas a luta dos trabalhadores pode dar uma saída para a crise econômica e do coronavírus que percorre o mundo.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro   /    neoliberalismo   /    China

Comentários

Comentar