Eleições 2018

Marina Silva diz não se arrepender de ter defendido o golpe institucional

Em entrevista, disse que não se arrepende de ter votado no impeachment de Dilma Roussef.

terça-feira 11 de setembro| Edição do dia

Em entrevista ao jornal O Globo, Marina reafirma seu golpismo. A candidata da Rede disse que não se arrepende de ter sido favorável ao golpe.

A entrevista ocorreu logo antes do PT ter trocado sua candidatura, com o prazo tendo sido adiantado pelo TSE, em mais uma arbitrariedade da justiça. A candidata do partido que se diz ecológico mas está junto com o Itaú e a Natura foi uma dos apoiadoras do golpe institucional.

Além disso, a candidata que tem caído nas pesquisas, tenta surfar na onda de “mulheres na política” porém, além de apoiar o golpe e as contrarreformas de Temer que atingirão as mulheres trabalhadoras em cheio, a candidata é contra a legalização do aborto e contra o casamento LGBT.

Veja também: Marina Silva, o neoliberalismo conservador mascarado de defesa das mulheres




Tópicos relacionados

golpe   /    Eleições 2018   /    Golpe institucional   /    Marina Silva

Comentários

Comentar