Educação

USP

Marcello Pablito e Maíra Machado denunciam perseguição da reitoria da USP ao 7º Congresso do SINTUSP

Assista aos vídeos que denunciam essa medida autoritária da reitoria da USP.

terça-feira 23 de abril| Edição do dia

A reitoria da USP negou a liberação dos delegados eleitos nas unidades, inviabilizando a realização do 7° Congresso dos Trabalhadores da USP, em conduta antissindical da universidade.

O Congresso é o espaço mais democrático onde os trabalhadores eleitos nas unidades podem debater e votar as diretrizes políticas e do funcionamento de seu sindicato, essa importante ferramenta de luta.

Assim como Bolsonaro vem atacando o direito de organização dos trabalhadores com a MP 873 – que proíbe o desconto de contribuição sindical e taxa associativa diretamente na folha salarial dos sindicalizados e obriga o pagamento via boleto bancário – a reitoria endossa esse ataque impedindo a organização dos trabalhadores da USP, que sempre levantaram como sua bandeira a defesa da universidade pública e gratuito e que fosse ampliada para os negros, os filhos dos trabalhadores e do povo mais pobre.

É necessário cobrir os trabalhadores de solidariedade erguendo uma forte campanha em defesa do direito de organização Sindical.

Assista aos vídeos:




Tópicos relacionados

Marcello Pablito   /    SINTUSP   /    Luta contra ajustes na USP   /    Educação   /    USP   /    Política   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar