Política

ELEIÇÕES EM SÃO PAULO

Mamãefalei quer usar jatos d’água para acabar com bailes funk

No debate de candidatos a prefeito do Universidade Vai às Urnas, organizados por diversos Centros Acadêmicos de São Paulo, Arthur do Val reafirmou suas posições reacionárias ao dizer que em São Paulo a polícia não vê cor.

sexta-feira 30 de outubro| Edição do dia

( Foto: Ananda Migliano/O Fotográfico/Estadão Conteúdo)

O youtuber e candidato a prefeito de extrema-direita em São Paulo, Arthur Mamãefalei, segue proferindo absurdos em suas falas durantes os debates eleitorais, como seu programa “Jovem Capitalista” para a educação. Quando questionado sobre a questão da segurança pública, o candidato do Patriota afirmou que em São Paulo, “a polícia não escolhe por tom de pele quem ela vai bater ou quem ela vai ser boazinha.”

Além disso, disse que iria transformar a Guarda Civil Metropolitana (GCM) em uma “polícia municipal”, reforçando seu papel repressor contra camelôs e vendedores ambulantes, moradores de rua e a população pobre e negra, e dando condições para que cumpra este papel de maneira ainda mais brutal.

Por fim, anunciou que compraria caminhões Tempestade, capazes de disparar jatos d’água, para acabar com bailes funk na cidade.

É mais uma das demonstrações do que defende a extrema-direita, neste caso representada por um militante do MBL. Negar a existência do racismo, como já havia feito Fernando Holiday, e defender a ampliação da repressão sobre a juventude negra, negando os mínimos espaços de lazer.

Contra esses candidatos e suas ideias, é fundamental defender os espaços de lazer e o direito a vida da juventude negra e periférica, bem como defender trabalho, vida e moradia dignas para vendedores ambulantes e moradores de rua, que constantemente sofrem nas mãos da GCM.




Tópicos relacionados

Fernando Holiday   /    Arthur do Val   /    Eleições 2020   /    GCM   /    MBL   /    Eleições São Paulo   /    Repressão   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar