15M

Mais de 10 mil pessoas tomam as ruas de Porto Alegre contra a Reforma da Previdência

quarta-feira 15 de março| Edição do dia

Em todo Rio Grande do Sul, distintas categorias de trabalhadores paralisaram nesse dia 15, em especial os professores do estado, com diversas escolas paradas nesse dia e deflagrando greve.

Além dos professores, os servidores e trabalhadores do Judiciário de Porto Alegre também paralisaram. As distintas paralisações e atos no RS e em todo o país mostraram a força da classe trabalhadora para combater os ataques do governo

Foram mais de 10 mil manifestantes reunidos na esquina Democrática, onde se somaram inúmeros movimentos sociais, partidos, centrais sindicais, distintas categorias de trabalhadores, jovens e estudantes.

Infelizmente, o ato liderado pela CUT e CTB, teve seu trajeto restringido, saindo em caminhada da esquina Democrática até o Largo do Zumbi, impedindo que a vontade da maioria presente de trabalhadores e jovens de seguir nas ruas para fazer sua voz de combate aos ataques ecoasse e que se vissem mais como sujeitos nessa luta.

Além disso, houve diversos eventos de concentração, como o chamado pelo CEPERS aos professores às 14h na Praça da Matriz, enquanto o ato central seria realizado na esquina Democrática no final da tarde, contribuindo pela divisão e dispersão em especial dos professores no ato.

Essas centrais que cultivaram a trégua aos golpistas desde o golpe, chama essa mobilização após muita pressão dos trabalhadores, e agora não pode deixar que a luta se resuma a esse dia, organizando um plano de lutas sério com assembleias em cada local de trabalho para que os trabalhadores possam tomar nas mãos a luta contra os ataques de Temer.




Tópicos relacionados

15M   /    Reforma da Previdência   /    Reforma Trabalhista

Comentários

Comentar