MRT

GREVE DOS PETROLEIROS

MRT e Esquerda Diário prestam solidariedade ativa à greve dos petroleiros

Nesta quarta-feira (30), se deu inicio a greve da Petrobrás de 72 horas. Os petroleiros pedem a redução dos preços dos combustíveis mais sentidos pela população como gás de cozinha e gasolina e contra a privatização da empresa. Na manhã deste inicio de greve a juventude Faísca, junto com trabalhadores do Movimento Nossa Classe e do Movimento Revolucionário de Trabalhadores (MRT) foram até importantes refinarias no país demonstrar seu total apoio à luta e solidariedade.

quarta-feira 30 de maio| Edição do dia

Nesta quarta-feira (30), a juventude Faísca, junto com trabalhadores do Movimento Nossa Classe e do Movimento Revolucionário de Trabalhadores (MRT) estiveram presentes em diversas refinarias entre elas REGAP (Betim-mg), REPLAN (Paulínia-SP), no TABG (Ilha do Governador-RJ), REDUC (Duque de Caxias - RJ), REFAP (CANOAS-RS) e Terminal São Caetano do Sul.

Essas ações são parte de prestar solidariedade ativa à greve dos petroleiros, que levantam uma pauta que toda a população deve apoiar, assim como a esquerda, de redução dos combustíveis e contra a privatização da Petrobras. Diferentemente do movimento dirigido pela patronal dos transportes, que só defendia os interesses desse setor patronal e arrancou ainda mais subsídios do governo às custas do dinheiro do povo.

Nessa greve atuamos prestando solidariedade ativa porque se trata não somente de uma demanda operária e popular, mas de uma categoria que devemos cercar de solidariedade, inclusive porque a CUT deixou os petroleiros isolados, sainda em greve sozinhos e chamou somente uma "greve de advertência" pela via da FUP, além de que recebeu de imediato uma repressão da justiça declarando a greve ilegal, mostrando como tratam diferente as greves de trabalhadores dos lockout dos patrões, com os quais tiveram toda tolerância.

Prestamos essa solidariedade ativa diretamente nas unidades de trabalho e no Esquerda Diário, chamando a ampliar este apoio com todas as nossas forças, mas alertando que sem superar a política do PT, tanto via FUP e CUT, quanto para a Petrobras, não será possível encarar de fato a pauta correta que a greve levanta de redução dos combustíveis e contra a privatização, o que só poderá ser conquistado com a luta por uma Petrobras 100% estatal, sob administração dos próprios petroleiros e controle popular.

Leandro Lanfredi petroleiro, editor do Esquerda Diário e dirigente do MRT fala diretamente da greve apontando a perspectiva de nenhum subsídio para os empresários, por uma política independente da classe trabalhadora:

Veja a cobertura do Esquerda Diário completa das ações:

RIO DE JANEIRO:

No Rio de Janeiro, jovens e trabalhadores estiverem na Refinaria Duque de Caxias (Reduc), uma das maiores do Brasil em capacidade instalada de refino de petróleo


Também foram no TABG (Ilha do Governador-RJ) prestar solidariedade ativa aos trabalhadores em luta.


RIO GRANDE DO SUL:

No Rio Grande Sul, a Juventude Faísca esteve na Refinaria Alberto Pasqualini (REFAP) que fica no polo industrial de Canoas, e é uma das ameaçadas a privatização.

MINAS GERAIS:

Em Minas Gerais, as mulheres do Pão e Rosas junto à Juventude Faísca foram até a Refinaria em Betim, Gabriel Passos (Regap).



SÃO PAULO:

Em São Paulo, foram na Refinaria de Paulínia (Replan) levar apoio aos trabalhadores, a paralisação acontecia com a presença do exercito há poucos metros da refinaria.






Tópicos relacionados

MRT   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar