Política

MPF QUER PRISÃO DE LULA

Lula e Delcídio do Amaral na mira do MPF por obstrução à Lava Jato

quinta-feira 21 de julho de 2016| Edição do dia

Na manhã desta quinta (21), a Procuradoria da República reiterou a denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra 7 pessoas, incluindo o ex-presidente Lula e Delcídio do Amaral, por suposta tentativa tentativa de obstruir a Operação Lava Jato.

Os nomes citados incluem Lula, Delcídio do Amaral, o ex-chefe de gabinete Delcídio Diogo Ferreira, o advogado Edson Ribeiro, o banqueiro André Esteves, o empresário pecuarista José Carlos Bumlai e seu filho, Maurício Bumlai. Todos acusados de tentar comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobrás Nestor Cerveró, durante o processo em que o diretor, enrolado com a Justiça, negociava acordo de delação premiada.

A denúncia foi feita no início deste ano ao STF. O relator da Lava Jato na corte, Teori Zavascki, determinou o envio para a Justiça Federal de Brasília depois que Delcídio foi cassado e perdeu o foro privilegiado.

Segundo a procuradoria, o procurador Ivan Cláudio Marx fez "acréscimos à peça inicial, com o objetivo de ampliar a descrição dos fatos e as provas". Aponta crimes como: embaraço à investigação de organização criminosa, patrocínio infiel e exploração indevida de prestígio. O que é contraditório neste ato do procurador é que são as mesmos já identificados anteriormente pela Procuradoria Geral.

Janot alinha a mira da Lava Jato contra a estratégia petista de "combate" ao golpe

Como mostramos aqui, os rumos da Operação Lava Jato, por hora em disputa, alinha-se momentaneamente em prol de atacar diretamente Lula e demais petistas. Por outro lado, a estratégia petista de acordões para barrar o golpe, visando as eleições de presidenciais de 2018, novamente tem sua principal figura (Lula) na mira.

As reiterações levadas a público pela Procuradoria, nesta quinta, são com base na delação premiada de Delcídio do Amaral e do chefe de gabinete dele Diogo Ferreira, apresentando extratos bancários, telefônicos e passagens aéreas. O procurador Janot busca assim provar que Lula se juntou aos outros, entre eles o pecuarista José Bumlai, e pagaram R$ 250 mil para comprar o silêncio de Cerveró. O que é curioso é que o mesma delação, aparecem informações sobre FHC ter recebido 100 milhões em venda de petrolífera, porém, nada é citado contra o tucano.

Enquanto isso, em sites e blogs petistas, buscam defender a todo custo Lula de todas as acusações, dizendo que o mesmo além de ter a ficha limpa, nunca cometeu crime algum, dentro ou fora da vida política. Mas basta que olhemos para o nome ao lado de Lula que gritará uma enorme contradição, Delcídio do Amaral.

O privatista Delcídio, voz ativa da reforma da previdência social em 2003, que pulou do PSDB ao PT, é um dos símbolos do que foram os maiores crimes dos governos petistas contra os trabalhadores. Porém, agora novamente ao lado de Lula, desta vez como réu, em mais uma tentativa do partido judiciário em legitimar o golpe institucional e os ajustes.




Tópicos relacionados

Lula   /    Política

Comentários

Comentar