Educação

NORDESTE

Forte impacto da matéria do Esquerda Diário sobre Concurso para professores do Rio Grande do Norte

terça-feira 19 de julho de 2016| Edição do dia

No último dia 8 de julho de 2016 a matéria intitulada: “Aprovados e não convocados: a razão da falta de professores em sala de aula no Rio Grande do Norte” publicada aqui no jornal Esquerda Diário teve relevante e grata repercussão nas mídias sociais, principalmente entre os professores aprovados e não convocados. Até momento supera as 1700 curtidas, o que mostra o interesse como que foi utilizada também em diversas formas na luta.

A matéria tratava do preenchimento de 1.400 (mil e quatrocentas) vagas de caráter imediato, além da formação de cadastro de reserva para cargos de provimento efetivo de Professor e Especialistas em Educação, da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura do Estado do Rio Grande do Norte, de acordo com as normas e condições estabelecidas no Edital Nº 001/2015 de 3 de novembro de 2015. Porém, até o momento o referido edital nãofora cumprido em sua totalidade acarretando na falta de professores para atendimento aos alunos em diferentes séries e disciplinas na Educação do Estado do Rio Grande do Norte.

Os professores aprovados e não convocados prestigiaram e apoiaram a matéria de diversas formas nas redes sociais, em especial o facebook. Manifestaram sua indignação na página do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, no twitter do mesmo e também nos grupos organizados pelos professores nas diferentes mídias digitais, coisa que incomodou ao poder político estadual e mostrou o forte impacto da materia.

No período compreendido entre do dia da publicação da matéria (8 de julho de 2016) e hoje (17 de julho de 2016) houve um importante fato quando no último dia 11 de julho o Governo do Estado do Rio Grande do Norte em texto publicado no Diário Oficial do Estado RESOLVE tornar sem efeito a convocação dos candidatos que não se apresentaram. Diz o texto queos candidatos que não se apresentaram na primeira convocação (1 de abril de 2016), e que não pediram reclassificação não poderão assumir.

Dessa forma, o Governo do Estado deveria fazer imediatamente novas convocações utilizando como critério o próprio edital quando trata da convocação do cadastro de reserva para provimento nos cargos, como trata o item 1.3.1 do Edital “As vagas para provimento imediato neste Concurso Público são as indicadas no quadro deste item 1 e totalizam 1.400 (mil e quatrocentos) postos nas DIRECs relacionadas no Anexo II. Contudo, durante o prazo de validade deste certame a Secretaria de Estado da Administração e dos Recursos Humanos – SEARH e a Secretaria de Estado da Educação e da Cultura – SEEC poderão disponibilizar novas vagas para provimento. Assim, os candidatos aprovados nas provas objetivas, mas não classificados nas vagas imediatas, comporão Cadastro Reserva e poderão ser nomeados de acordo com a necessidade e disponibilidade orçamentária da SEARH e da SEEC”.

Importante informar que nesta última publicação, o Diário Oficial do Estado não deixou explicita a reclassificação solicitada por candidatos aprovados e convocados na primeira chamada em abril, sendo essa uma queixa dos professores frente a referida publicação.Deveriaconstar uma publicação com os aprovados que se apresentaram e que tiveram seus pedidos de reclassificação deferidos.
Reiteramos e defendemos que só a luta e sua articulação com as demais lutas em curso no pais pode garantir uma educação pública, gratuita, melhores condições de trabalho e estudo e nos solidarizamos com a luta dos professores aprovados e não convocados em Rio Grande do Norte.

Exigimos ao Governador Robinson Faria (PSD) acabar com suas manobras dilatórias e a convocação imediata dos professores aprovados, para que possam exercer sua profissão com dignidade.




Tópicos relacionados

Educação   /    Educação

Comentários

Comentar