Educação

PROFESSORES DE CABO FRIO

Educação de Cabo Frio em greve exige o pagamento do salário atrasado, no RJ

quarta-feira 13 de setembro| Edição do dia

FOTO: SEPE - Lagos/Facebook

Os profissionais de educação de Cabo Frio (RJ) entraram em greve ontem (1e/09), a decisão foi tomada em assembleia da categoria, que exige o pagamento das duas parcelas atrasadas do 13º salário referentes a 2015, ainda não pagas pela prefeitura de Marquinhos Mendes (PMDB).

Além de não pagar salário, Maquinhos também está devendo os triênios e equiparação salarial de contratados do município. Marquinhos não quer pagar os professores e profissionais da escola, porém, não lhe faltou dinheiro quando empregou a esposa, o sogro e o cunhado na prefeitura que foram exonerados em março depois de todo mundo ficar sabendo.

O prefeito foi empossado falando de "dívida", mas usou do cargo público para beneficiar a própria família em cargos de indicação e comissionados, o que mostra a demagogia destes políticos, eleitos dizendo que vão "cortar gastos", quando na verdade querem cortar da educação, saúde e serviços essenciais para o povo, em troca de manter suas benesses no estado.

Em Cabo Frio são cerca de 87 escolas que merecem a verba da prefeitura, ao contrário do prefeito e de sua família. Os mesmos ficaram sem receber salários já em 2016, quando inúmeras escolas fecharam porque a prefeitura não pagava os educadores.




Tópicos relacionados

Greve de professores do RJ   /    Educação   /    Professores   /    Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar