Mundo Operário

CONTRA O PL 4302

Diana Assunção chama a lutar contra PL da terceirização irrestrita e defender os terceirizados

terça-feira 21 de março de 2017| Edição do dia

Diana Assunção, ex candidata do MRT pelo PSOL, manifestou seu repúdio ao PL 4302/98, da terceirização irrestrita, que está na pauta de hoje na câmara dos deputados. Diana aproveitou para convocar os todos trabalhadores, efetivos e terceirizados, para lutar contra este ataques à todos os trabalhadores, contra a divisão dos trabalhadores, feita pelos patrões para melhor nos explorar, como é esta lei, exigindo a efetivação de todos os terceirizados sem necessidade de concurso.

Em seu post em rede social Diana Assunção afirma que o PT abriu espaço para que o vai ser votado hoje. Durante os governos de Lula e Dilma o númro de terceirizados deu um salto, de 4milhões a 12milhões de trabalhadores. Diana também argumenta que as centrais sindicais, em especial a CUT e CTB sempre naturalizaram essa divisão da classe trabalhadora entre efetivos e terceirizados. Veja o post completo:

Diana é trabalhadora da USP e militante feminista, autora do livro A Precarização Tem Rosto de Mulher, e junto com o SINTUSP, Sindicato dos Trabalhadores da USP, sempre lutou contra a precarização dos trabalhadores representada pela terceirização, que é apoiada na opressão de raça e gênero.

Foto da greve da Higilimp na USP

No vídeo abaixo, durante congresso da CSP-Conlutas, Diana Assunção faz a defesa do programa de incorporação dos terceirizados às empresas em que trabalham, e sem concurso público no caso de trabalhadores em estatais e órgãos governamentais. Esse programa, necessário para solidificar a relação entre efetivos e terceirizados foi negado por aquela central sindical.

Leia também: II Congresso MRT: enfrentar os ataques de Temer e construir uma esquerda anticapitalista na luta de classes




Tópicos relacionados

Terceirização   /    São Paulo (capital)   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar