Internacional

ELEIÇÕES ARGENTINA

Com uma grande eleição, Myriam Bregman conquistou um posto na Legislatura portenha

A referente da Frente de Esquerda encabeçou a fórmula de legisladores da Cidade de Buenos Aires, que obteve cerca de 7% de votos, ingressando dois deputados. Em dezembro serão três: Bregman (PTS), Solano (PO) e Del Corro (PTS).

segunda-feira 23 de outubro| Edição do dia

Com 99,73% das mesas apuradas e fechada a apuração provisória, a lista Vamos Juntos (Cambiemos) que levava de candidata Carrió, estava com 50,93% dos votos. Seguida por Unidad Porteña, encabeçada por Daniel Filmus, que alcançava 21,74% dos votos.

Em terceiro estava Martín Lousteau, com 12,33%, seguido pela Frente de Esquerda que, realizando uma grande eleição, conquistou 5,81% (111.160 votos) na categoria deputado nacional, ficando muito próximo de conquistar uma banca. Atrás ficaram Avancemos hacia um país mejor, com 4,88% e Autodeterminación y Libertad (Luis Zamora) com 4,31%.

A Frente de Esquerda obteve, na categoria deputados portenhos, 3,87% dos votos (131.203), conquistando duas bancas que serão assumidas por Myriam Bregman (PTS) e Gabriel Solano (PO). Se destacando em várias regiões da Cidade de Buenos Aires, a FIT alcançou na comuna 5 e 15, 8,64% e 7,21% de votos, respectivamente.
Com uma intensa campanha militante e uma grande eleição, se alcançaram esses resultados e em dezembro a Legislatura portenha contará com três postos ao serviço dos trabalhadores, das mulheres e da juventude: Bregman (PTS), Solano (PO) e Del Corro (PTS), que irá rotacionar com o atual legislador Marcelo Ramal (PO).

Por volta das 21h30, desde o bunker do Hotel Castelar, Myriam Bregman realizou ao Esquerda Diário suas primeiras declarações: “A Frente de Esquerda está realizando uma grande eleição na Capital e uma ótima eleição no resto do país. Na Cidade de Buenos Aires, se são somados os nossos votos com os de Luis Zamora, poderíamos falar de uma importantíssima eleição, que permitiria obter um ou dois deputados nacionais. Lamentavelmente Luis escolheu seu projeto pessoal e isso está levando a esquerda a não ter uma representação. Acredito que há que deixar as mesquinharias de lado. O único sabor amargo é que Marcelo, por umas décimas, estaria entrando. Nós, desde 2011, estamos construindo uma frente, nos parlamentos, na política nacional, mas também nas ruas”.

Gabriel Solano (PO), segundo legislador eleito, expressou: “Essa foi a melhor eleição da Frente de Esquerda na Cidade de Buenos Aires desde que a FIT se constituiu. Nunca chegamos a tanto, nem na categoria de deputados nem na de legisladores”.
Bregman agregou que “em uma eleição onde os partidos tradicionais colocaram suas grandes figuras, a FIT fez uma grande eleição. Se o governo acredita que tem um cheque em branco, se confunde. O governo entrou nessas eleições com todos os fatores de poder e um voto negativo ao governo anterior. Um segundo elemento a destacar é que quando há original e fotocópia, as pessoas escolhem o original. E foi isso que passou com o peronismo de Salta e de Córdoba”.

Diante dessa situação, a legisladora eleita assegurou que “a esquerda nessa boa eleição não só tem o desafio de representar os votos da esquerda, mas também de muitos que não optaram por nós nessa eleição, pois vamos a coincidir com eles nas ruas, contra o ajuste, nos sindicatos, na luta pelos direitos das mulheres. Temos um grande desafio”.

A jornada finalizou com um ato em que a militância da Frente de Esquerda se concentrou na porta do Hotel Castelar. “Seguiremos lutando por encontrar os culpados pelo assassinato de Santiago Maldonado”, assegurou ali a deputada portenha eleita.




Tópicos relacionados

PTS   /    Argentina   /    Frente de Esquerda e dos Trabalhadores (FIT)   /    Eleições na Argentina   /    PTS na FIT   /    Internacional

Comentários

Comentar