Economia

COMBUSTÍVEIS

Após início de privatizações de refinarias, governo anuncia mais um aumento na gasolina

A Petrobras informou nesta terça-feira, 22, aos seus clientes que vai aumentar o preço do litro da gasolina vendida em suas refinarias em 4%. Os preços do óleo diesel para consumo automotivo e marítimo foram mantidos. O reajuste passa a valer amanhã, 23.

terça-feira 22 de setembro| Edição do dia

Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Segundo a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), a alta foi de R$ 0,0646 por litro. "Mesmo com os preços internos subindo, as janelas (oportunidades) continuam fechadas, por causa do dólar", afirmou o presidente da entidade, Sérgio Araujo.

Na verdade, a alta dos preços dos combustíveis tem como fundamento a entrega total à iniciativa privada das instalações e refinarias da empresa que afastavam do consumidor as flutuações de preço decorrentes de importações e mudanças no dólar.

Veja também: Petrobras vende campos terrestres, a preço de banana, para empresas imperialistas

Na Petrobras, o novo método de privatização foi inaugurado com a subsidiária BR Distribuidora, uma das maiores empresas do país vendida na canetada de Castello Banco, capacho de Paulo Guedes e Bolsonaro na presidência da empresa. Agora, são as refinarias. Junto a isso, um programa de fechamento de plantas que incluiu a Fafen - do Paraná assim como a Repar, além de planos de demissão voluntários enfiados goela abaixo da categoria.

Com isso, a população fica com o combustível caro e sem acesso às riquezas do minerais do país, que são entregues à toque de caixa para gigantes monopolistas como a SHell, a Total, a Statoil entre outras. A Petrobras poderia servir ao povo, se não se baseasse no lucro. Rompendo com a imposição do preço do petróleo que é dado internacionalmente, e produzindo gás barato e gasolina a preços populares, a Petrobras poderia ser uma empresa popular.

Mas isso só pode ser possível atingir através do controle dos trabalhadores sobre a produção em aliança com o povo. O potencial produtivo da Petrobras poderia estar servindo para salvar o povo nesta pandemia, uma reconversão da produção poderia servir para colocar o batalhão dos petroleiros à serviço de munir o povo, em especial no SUS, com todo material necessário para se combater a covid-19, mas a política privatista de Bolsonaro deixa os trabalhadores e o povo pobre abandonados ao contágio, batendo recorde de mortes, sobretudo na população negra e pobre.

Com informações da Agência Estado




Tópicos relacionados

Petrobras   /    Privatização da Petrobras   /    Crise da Petrobrás   /    Economia

Comentários

Comentar