Opinião

DIREITO AO ABORTO

Aborto não é questão de opinião

quarta-feira 7 de dezembro de 2016| Edição do dia

Vivemos em uma sociedade onde a religião e o Estado tentam de todas as maneiras controlar a vida sexual e o corpo da mulher, onde somos impedidas de tomarmos as decisões sobre nosso próprio corpo, somos julgadas e inferiorizadas se não seguirmos os padrões que nos são impostos, onde a gravidez é compulsória, romantizada e imposta para todas as mulheres. As consequências disso são brutais, mulheres sendo submissas a vida toda, violentadas de todas as maneiras possíveis.

Todos os dias mulheres de todos os tipos abortam e são vítimas de abortos clandestinos, o maior número está entre as negras pobres e trabalhadoras, pois a educação sexual e o conhecimento do seu próprio corpo muitas vezes não permite criar suas fortalezas.

Aborto é um assunto muito polêmico que sempre envolve crenças, tabus ou religião, que nem se quer deveria ser envolvidos nesse assunto, pois aborto não é questão de opinião e sim de saúde pública. Ser ilegal não vai impedir que mulheres abortem, se ela está passando pelo desespero de uma gravidez indesejada, não tem amparo familiar e nem preparo físico e psicológico, ela vai se submeter a um aborto, pondo assim a sua vida em risco. Um filho é responsabilidade para a vida toda, gravidez compulsória só vai trazer infelicidade tanto para a mãe quanto para a criança. A opinião, achismo, discurso moralista, vai continuar matando mulheres todos os dias e torturando psicologicamente aquelas que já passaram por um processo de aborto, pois não é uma decisão fácil. A maioria das mulheres que já abortaram carregam traumas a vida toda e geralmente entram em depressão, é isso que acontece em um país que criminaliza o direito de escolha da mulher. Essa realidade não vai mudar enquanto o aborto não for legal, gratuito e seguro para todas.

Para quem sugere anticoncepcional fique sabendo que nenhum método é 100% seguro e muitos causam danos irreversíveis à saúde da mulher. Se você não gosta da ideia de abortar e não teria coragem de se submeter a um aborto, não o faça, mas não se imponha de maneira alguma em uma escolha que não é sua, você não sabe as razões que levou uma mulher a se submeter a um processo doloroso e violento como esse. É o seu corpo, exclusivamente seu e só ela deve tomar as decisões sobre ele.

Educação sexual, aborto legal, gratuito e seguro e acompanhamento psicológico para mulheres que se submetam a um aborto já! É pela vida e saúde das mulheres, principalmente as negras pobres e trabalhadoras que são as que mais sofrem com essa irresponsabilidade do Estado. As mulheres trabalhadoras devem se organizar para, junto com a sua classe, conquistar esse direito.




Tópicos relacionados

Opinião

Comentários

Comentar