Educação

GREVE DE PROFESSORES

Tribunal de Justiça de São Paulo determina que governo Alckmin pague o salário dos professores grevistas

quinta-feira 7 de maio de 2015| Edição do dia

Da Redação

Acaba de sair (07/05) a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo referente ao corte de ponto dos professores estaduais, em greve há mais de 50 dias.

A Juíza Celina Kiyomi Toyoshima, da 4a vara da fazenda pública, deferiu o pedido feito pelo sindicato dos professores e intimou o governo a suspender o corte no salário dos servidores por motivo do movimento grevista.

Para a Juíza, “a greve é um direito assim previsto pela CF [Constituição Federal]. Até que haja solução sobre a legalidade ou não do movimento, afigura-se prematuro o desconto salarial pelos dias da paralisação e de corte de ponto”. Dessa forma, a Juíza deferiu o pedido feito em Ação Civil Pública pela APEOESP e definiu multa diária de R$ 5.000,00 em caso de descumprimento. Ainda cabe recurso.

Ainda hoje ocorreu uma audiência de conciliação no Tribunal de Justiça de São Paulo. Centenas de professores em greve se concentraram na Praça da Sé para acompanhar. Porém, o governo permaneceu intransigente e se negou a atender qualquer reivindicação. Segundo os representantes da APEOESP na reunião de conciliação, o representante do governo prometeu que derrubariam a liminar concedida ainda esta noite.

A categoria segue em greve, uma nova assembleia está marcada para amanhã, dia 08/05, às 14:00 no vão livre do MASP, onde os professores deverão definir os próximos passos do movimento.




Tópicos relacionados

Educação

Comentários

Comentar