GREVE RODOVIÁRIOS BELÉM

Rodoviários de Belém decidem pela continuação da greve

Demonstrando resistência, greve dos rodoviários já chega a cinco dias, e em votação no domingo (22) trabalhadores decidiram pela sua continuação.

segunda-feira 23 de abril| Edição do dia

A paralisação iniciada na quinta-feira (19) continua e os rodoviários de Belém, Ananindeua e Marituba seguem em greve . A decisão foi tomada durante reunião da categoria, realizada no domingo (22). A liberação da catraca dos coletivos foi descartada pelos rodoviários.

A desembargadora Francisca Oliveira Formigosa, do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) expediu determinação que estabelece multa de R$ 20 mil por cada ônibus circulando sem cobrador, assim como R$ 100 mil por dia sem trabalho. Ainda assim, os trabalhadores mantiveram a greve reivindicando 10% de reajuste salarial, R$ 700 em ticket alimentação e redução da carga horária de trabalho para seis horas diárias.

Com o aumento de tarifa em torno de 16%, não houve renovação da frota, que é composta por ônibus sucateados, e o reajuste tem o percentual mais baixo dos últimos 14 anos, ficando em torno de 1,5% a 1,6%, o que significa um aumento de R$14 reais no salário do cobrador e R$23 reais no salário do motorista. Não é preciso dizer o tamanho absurdo que isso representa, já que além de tudo, esses trabalhadores não tem direito a plano de carreira e se deparam com uma rotina de constante sobrecarga física e psicológica, enfrentam uma rotina com altas cargas horarias de trabalho, são expostos a constantes situações de perigo de vida e tem de lidar com o sucateamento da frota e a precarização das condições de trabalho.

No sábado (21), mais uma vez, a polícia mostrou seu lado repressor tentando calar a voz dos trabalhadores, que bloquearam a rodovia BR-316. Com balas de borracha, a Rotam atirou contra os trabalhadores e alguns rodoviários ainda foram detidos e levados para a Seccional da Cidade Nova. Huellem Ferreira, presidente da categoria de Ananindeua e Marituba, foi atingido por balas de borracha e ficou ferido.

No domingo (22), os trabalhadores organizaram um ato na praça do Operário, em São Braz. As palavras de Altair Brandão, presidente do Sindicato dos Rodoviários de Belém são de resistência: "Vamos resistir! Não vamos sair derrotados desta guerra. A greve irá continuar", afirma.




Tópicos relacionados

rodoviários   /    Greve

Comentários

Comentar