Educação

EDUCAÇÃO

Professores pela Base se reúne no ABC

Vanessa Oliveira

Professora do ABC

quinta-feira 10 de março de 2016| Edição do dia

Entre os assuntos tratados discutimos o quadro da política nacional atual do nosso país e quais medidas, nós como esquerda devemos tomar para constituirmos uma base forte para combater esse sistema, que independente do partido que está a frente do governo desfavorece a classe trabalhadora a qual fazemos parte.

Também colocamos a necessidade de nossa participação do dia 8 de março, dia internacional da mulher, que víamos como eixo central a Legalização do Aborto e contra os ajustes do Estado, que pela via dos governos tem atacado os direitos e condições de vida das mulheres trabalhadoras em todo país, discutindo a importância de participarmos desta luta politica, pois há anos uma mulher está no poder e não fez nada a favor das mulheres do Brasil.

Foram tratados assuntos que fazem parte do cotidiano escolar e que atingem diretamente nossa luta por uma sociedade mais igualitária, as condições precárias de trabalho, racismo, violência e intolerância. O fato de nossos alunos estarem sem merenda decente, das escolas do estado de São Paulo estarem sem coisas básicas para nosso trabalho como: impressora, papel sulfite, funcionários no acessa, papel higiênico, entre outras.

As questões raciais tem sido um desafio nas unidades escolares e vimos como real necessidade uma reflexão humana e social por parte de todos os envolvidos nos processos educacionais, a fim de empoderar os alunos e os professores que muitas vezes são vítimas do racismo e se silenciam por não terem uma base de apoio que possa lutar junto a eles nessa causa.

Quando falamos em educação está muito claro que ao longo dos anos ela vem sofrendo cortes drásticos do Estado, e este por sua vez isenta toda a culpabilidade de suas ações, e de forma opressora e silenciosa tem cumprido seu papel de reprimir a juventude, os negros, os trabalhadores, e todos aqueles que lutam pelo direito e acesso a uma educação pública e de qualidade. E dada a conjuntura de crise em nosso país, a educação e todos os outros serviços públicos sofrerão cortes mais significativos, que tendem a aprofundar a precarização destes, e nesse sentido nós como educadoras e educadores temos uma responsabilidade ainda maior no trato destas questões, preparando nossos colegas de trabalho e estudantes a se enfrentarem com essa conjuntura de ataques para que a crise seja paga por quem a criou, ou seja, os governos e patrões.

Devemos seguir o exemplo dos secundaristas que protagonizaram uma importante luta no final do ano passado contra o fechamento de escolas e agora se lutam pela direito a merenda de qualidade nas escolas, e a partir disso, nos organizarmos para juntos discutirmos e tomarmos ações práticas nessa luta dentro da educação.

Convidamos todas e todos a participarem das reuniões do Professores pela Base para construir uma alternativa independente dos governos e das burocracias sindicais.




Tópicos relacionados

Educação   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar