BLACKLIVESMATTER

Polícia novaiorquina reprime brutalmente na cidade do anti-bolsonarista Bill de Blasio

Quase 790 pessoas presas na cidade desde o início, na semana passada, dos protestos contra a morte de George Floyd.

segunda-feira 1º de junho| Edição do dia

A cidade é governadora por Bill de Blasio, uma importante figura do Partido Democrata, portanto opositor do racista Donald Trump. Enquanto o presidente norte-americano busca criminalizar os “anti-fascistas” como terroristas, o governador e prefeito de NY, membros do partido Democrata, defendem a repressão e prisão dos manifestantes.

As cenas brutais de repressão em Nova Iorque escancara a demagogia por parte de figuras do Partido Democrata, que fazem declarações por justiça à George Floyd, buscando se apoiar nos protestos para fortalecer a sua disputa eleitoral contra Donald Trump. Sua atitude perante a rebelião negra antirracista nos EUA, de brutal repressão contra os manifestantes, mostra como sua preocupação em salvar o Estado imperialista e a polícia racista dos EUA estão em primeiro plano, longe de serem amigos da luta antirracista.

Na sexta-feira, os protestos começaram reunindo cerca de 1000 pessoas, com flores, cartazes e discursos denunciando não apenas o assassinato de George Floyd, mas as incontáveis formas de violência racista por parte da polícia de Nova Iorque todos esses anos. No começo da tarde, um enorme grupo de manifestantes tentaram bloquear vias da cidade e foram rapidamente atacadas pela polícia, com dezenas sendo presos. Ao marcharem para um tribunal de justiça, novamente a policiais, muitos sem uniforme disfarçados de manifestantes, os atacou e levou novos presos. A polícia então armou barricadas nas ruas para dispersar e dividiu os blocos de manifestantes.

Enquanto pessoas se juntavam aos protestos, palavras de ordem denunciavam o racismo da política de Nova Iorque: “Say his name” [Diga seu nome], “Hands Up Don’t Shoot” [Mãos para cima, não atire] e “How do you spell racist?” [Como soletra “racista”] “NYPD” [Sigla da polícia de Nova Iorque]. Manifestantes carregavam a imagem de Breonna Taylor, George Floyd, Ahmaud Arbery, Sean Reed, e Tony McDade, entre muitos nomes de jovens negros assassinados pela polícia.

Depois de tanta repressão, esses policiais tiveram a cara de pau de se ajoelhar em "solidariedade" aos manifestantes. Não se trata de uma discussão sobre "policias bons" e "policiais maus". A polícia é funcional à defesa da propriedade capitalista, que aprofunda a opressão racial para dividir os trabalhadores para aumentar a sua exploração de conjunto, obtendo maiores lucros com o suor e sangue negro.

EUA: Minnesota é um estado democrata. Onde está o "mal menor" agora?

O prefeito Bill de Blasio está chamando as pessoas a ficarem em casa para que a “paz” seja restaurada, enquanto blinda a responsabilidade da polícia de Nova York pela violência racista com a qual sempre atuou todos esses anos. É importante lembrar que Bill era prefeito quando, em 2014 na sua cidade, Erik Garner era assassinado pela polícia, disparando o movimento Black Lives Matter [Vidas Negras Importam].

Um oficial que falou em condição de anonimato por causa da sensibilidade do assunto afirmou que Chiara de Blasio, filha de 25 anos do prefeito de Nova York, Bill de Blasio, foi uma das presas na noite de sábado, 30. Chiara de Blasio, que é negra, foi convocada pelo tribunal e, posteriormente, liberada. O prefeito Bill de Blasio, que é branco, não falou da prisão em sua entrevista coletiva neste domingo, 31.

Não podemos nos enganar: sob ordens do prefeito Bill de Blasio, a polícia de Nova Iorque dispendeu todo o seu aparato repressivo com a única intenção de atacar e tentar controlar a raiva de milhares nas ruas exigindo justiça. A polícia se enfrentou com os manifestantes com muito mais violência e ódio do que qualquer manifestante individual, avançando contra indivíduos, inclusive a própria filha do prefeito, ou grupos menores.

É necessário exigir a liberação imediata de todos os manifestantes presos e a extinção dos processos contra eles. No final da noite, uma importante demonstração de solidariedade partiu dos motoristas de ônibus designados para levar os detidos a cadeia, que se recusaram a fazê-lo dizendo que não seriam parte da repressão policial aos manifestantes e ser complacentes com a morte de negros pela polícia. Uma multidão cercou os ônibus e foram a loucura, comemorando a união dos motoristas com os manifestantes. O sindicato de trabalhadores de transportes local anunciou em um tweet que todos os seus membros se recusariam a transportar manifestantes presos.

Uma enorme demonstração de que para derrotar o racista Trump, é necessário a entrada em cena dos trabalhadores, com seus métodos para impor uma investigação independente do assassino de George Floyd, que imponha às evidências para que o Estado norte-americano julgue e condene o policial e faça justiça por todas as vítimas de violência racial por parte do Estado. Não é possível cair no canto de sereia dos políticos do cemitério de movimentos sociais, o Partido Democrata norte-americana, que representa os interesses dos donos da Target, que explora brutalmente os negros e que segue lucrando com a pandemia.

Não é possível confiar num partido que acoberta a violência racista de suas policias em Nova Iorque, Minneapolis e tantas outras cidades. É o mesmo partido que quer preservar o aparato imperialista do Estado norte-americano, que deflagra guerras e oprime povos em todo mundo, enquanto prende os imigrantes nas suas fronteiras.




Tópicos relacionados

Black Lives Matter   /    Imperialismo   /    Racismo EUA   /    [email protected]   /    Internacional

Comentários

Comentar