Gênero e sexualidade

Pichações racistas e lesbofóbicas marcam paredes de banheiro em Faculdade de São Bernardo

Na última quarta-feira (21), um banheiro feminino da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo, na região do ABC, foi encontrado pichado com conteúdos racistas e lesbofóbicos. Estudantes fotografaram e denunciaram para a direção da instituição.

Cássia Silva

estudante de Ciências Sociais na Unicamp e militante da Faísca

sexta-feira 23 de março| Edição do dia

“Fora sapatão”, “fora preta sapatão”, “odeio preto” e “fim das cotas” são os escritos no banheiro, que foi lacrado para a preservação da cena do crime, de acordo com pedido de uma estudante. O conteúdo só escancara o caráter preconceituoso de mensagem de ódio e pelo fim das cotas raciais recentemente implementadas na faculdade.

Segundo informações do portal de notícias G1, a cada 5 dias, o estado de São Paulo registra uma denúncia de racismo em instituições de ensino, de acordo com dados da Secretaria Estadual da Segurança Pública de São Paulo. Entre 2016 e 2017, foram registrados 2873 boletins de ocorrência de injúria racial, ou seja, 4 denúncias por dia, sendo que 142 delas eram em instituições de ensino (fundamental, médio e superior).

O Centro Acadêmico expressou seu repúdio à pichação racista e lesbofóbica, assim como militantes do movimento negro de dentro e fora da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo.




Tópicos relacionados

Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar