Mundo Operário

Metalúrgica Aliança negocia pagamento dos salários atrasados aos funcionários

Em assembleia realizada na última sexta-feira a metalúrgica Aliança negociou o pagamento dos salários dos mais de mil trabalhadores a partir do dia 18, exigimos que cumpram o acordo.

segunda-feira 14 de maio| Edição do dia

Na semana passada denunciamos aqui no Esquerda Diário a situação dos funcionários da metalúrgica Aliança, da Zona Norte de São Paulo, que dispensou os funcionários de suas atividades, deixando mais de mil trabalhadores sem salário em maio, sob o argumento de uma mudança na administração e dificuldades financeiras.

Desde que os trabalhadores foram obrigados a ficar em casa, a fábrica também sofreu um incêndio que destruiu uma parte importante da linha de produção das ferragens que produz, o que também acabou atrasando a resolução da situação do trabalhadores fazendo a empresa adiar ainda mais a volta deles ao trabalho.

Na última sexta-feira o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi, dirigido pela Força Sindical, realizou uma assembleia onde estiverem presentes mais de 500 trabalhadores, representantes do sindicato, da comissão de fábrica e da empresa. Ficou acordado que uma parte dos trabalhadores deve receber seus salários e vales-transportes atrasados até dia 18/05 e o restante dia 22/05, além disso um pequeno setor da produção deve voltar ao trabalho dia 15/05 e os demais retornarão posteriormente aos poucos, segundo a empresa, conforme forem reerguendo-a e reativando as linhas. Realmente este não foi o melhor acordo pensando nos interesses diretos dos trabalhadores pois mantém a situacao de que esperarem em casa e condicionados a pagarem as horas em que estão sem trabalhar descontando do banco de horas que a Aliança implementou recentemente.

Além disso, em assembleia a empresa também disse que não poderia pagar dia 15 o vale-transporte dos que voltarem ao trabalho e ridiculamente incentivou que pedissem dinheiro emprestado aos seus familiares para se locomoverem e que agradeceriam de coração aos que conseguissem. Sabemos que mesmo pedindo de coração nenhuma empresa capitalista, em especial as que fornecem os serviços básicos como água, luz e gás deixariam qualquer cidadão se utilizar de seus serviços sem que pagasse, e que certamente nesses dias sem salário vários operários seguem passando por necessidades com suas famílias.

Mas, de qualquer modo os trabalhadores precisam se manter atentos para garantir que a empresa não deixe de cumprir os acordos aprovados na assembleia e estejam preparados para voltar a se mobilizar caso seja necessário.

Nós do Movimento Nossa Classe e do Esquerda Diário nos colocamos ao lado desses trabalhadores e trabalhadoras e nos solidarizamos com a sua situação colocando nosso diário a serviço de denunciar os abusos da patronal, propagar a luta e o que mais nos solicitarem, sabendo que a postura da Aliança é nada mais nada menos que jogar nas costas da nossa classe uma conta que não fomos que criamos, se apoiando numa legislação que retira cada vez mais os escassos direitos trabalhistas que temos hoje a fim de perpetuar a exploração de nossos trabalhos e desvalorização de nossas vidas em detrimentos de seus lucros.




Comentários

Comentar