Educação

AUTORITARISMO

MEC autoritário abre processos administrativos contra 30 professores da Universidade Federal Fluminense

Ministério comandado por Weintraub abriu procedimento administrativo disciplinar contra 30 professores da Universidade Federal Fluminense. O pretexto para estes processos autoritários é uma decisão tomada há 12 anos por estes docentes quando estavam no Conselho Universitário da UFF, quando decidiram conceder aos funcionários aposentados os mesmos aumentos dos funcionários ativos.

segunda-feira 17 de fevereiro| Edição do dia

Já é escancarado há tempos o autoritarismo de Weintraub e Bolsonaro contra as universidades federais, com cortes no orçamento, nomeação de interventores, declarações atacando a liberdade de cátedra e de expressão dentro das universidades brasileiras.

Em mais um absurdo episódio de autoritarismo, MEC vai abrir procedimento administrativo disciplinar contra 30 professores da Universidade Federal Fluminense. O motivo: há 12 anos, quando os docentes em questão integravam o conselho universitário da universidade, eles tomaram uma decisão favorável aos trabalhadores aposentados, que de acordo com a decisão poderiam usufruir dos mesmos aumentos salariais dos trabalhadores ativos, uma medida justa de equidade para com os trabalhadores que já dedicaram anos de sua vida à universidade.

Os professores estão recebendo auxílio jurídico de seu sindicato.

Esta medida fere a autonomia universitária e a liberdade dos professores deliberarem os rumos da universidade, na contramão de uma gestão mais democrática da universidades, que deveria ser exercida por professores, servidores e estudantes, de forma proporcional a cada categoria.

Ao mesmo tempo que é autoritário, também demonstra novamente o profundo caráter anti-trabalhador deste governo. Bolsonaro quer que os trabalhadores paguem a conta da crise trabalhando até morrer com salários de miséria, quando não no desemprego, tal como os mil trabalhadores da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados da Petrobrás que Bolsonaro quer demitir, razão pela qual se vê diante de uma importante greve de petroleiros que lutam contra as demissões e a privatização, a qual o governo também trata com autoritarismo.

É importante que todos os que se revoltam diante dos disparates e desmandos de Bolsonaro e seus lacaios no governo apoiem ativamente e se inspirem na greve dos petroleiros. É uma greve que pode impactar fortemente os planos de Bolsonaro de colocar a classe trabalhadora brasileira de joelhos para os capitalistas, se vitoriosa, podendo ser motivo de inspiração e força às lutas da juventude, dos trabalhadores e trabalhadoras e de todos os oprimidos contra o governo Bolsonaro.




Tópicos relacionados

UFF   /    Abraham Weintraub   /    MEC   /    Educação   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar