Economia

CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Governo prevê rombo maior em 2020 e tenta justificar reforma da previdência contra população

Em meio a uma grande crise capitalista, o governo deve rever para pior a meta fiscal. O déficit primário no ano que vem está previsto em até R$ 110 bilhões, mas estimativas apontam que pode haver um aumento de até R$ 15 bilhões. Isso quer dizer que o governo e os patrões vão querer atacar ainda mais os trabalhadores, fazendo com que paguemos pela crise que eles criaram. Para eles, a reforma da previdência agora é ainda mais necessária.

sexta-feira 12 de abril| Edição do dia

Para os capitalistas, a mudança na previsão para o rombo de 2020, que deve ser anunciada na próxima segunda-feira, será um alerta para aprovar o quanto antes a Reforma da Previdência, para garantir que seja apenas o povo pobre a pagar pelo déficit, enquanto seus lucros permanecem intactos.

O ultra neoliberal Paulo Guedes, Ministro da Economia, durante a campanha tinha um discurso de que iria zerar o déficit ainda no primeiro ano de gestão. Em março, ele chegou a afirmar que faria o impossível para atingir essa meta. Sem dúvidas sua única prioridade para isso é atacar os trabalhadores, impondo mais trabalho com menos direitos, em piores condições e sem aumento salarial.

Mas enquanto levam em frente um discurso afirmando que apenas a absurda Reforma da Previdência que quer nos fazer trabalhar até morrer resolverá o rombo do déficit, continuam pagando trilhões para a ilegal, ilegítima e fraudulenta dívida pública. Além disso, as novas metas estipuladas não incluem a previsão de ingresso de bilhões em recursos com o megaleilão de petróleo do pré-sal, que está marcado para 28 de outubro. Com isso, além de garantir o pagamento da absurda dívida que não é nossa e só serve para enriquecer cada vez mais os empresários, o governo também pretende rifar os recursos naturais do país subordinando ainda mais a economia nacional ao capital estrangeiro imperialista.

Para tentar conter o ritmo de crescimento das despesas, o governo deve mandar uma proposta de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) sem reajuste do salário mínimo, apenas com recomposição pela inflação. A equipe econômica previu que o índice que reajusta o piso nacional deve ficar em 4,2% este ano, o que resultaria num valor próximo a R$ 1040. Pela regra antiga, o valor ficaria em R$ 1051.

Eles querem que nós paguemos pela crise capitalista que eles mesmos criaram. A Reforma da Previdência é para nos explorar mais ainda. Precisamos exigir o fim do pagamento da fraudulenta dívida pública, que condiciona toda nossa economia para os interesses do capital internacional e, enquanto isso, querem que trabalhemos até morrer, para lucrarem mais ainda com nosso suor e sangue.




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro   /    Crise capitalista   /    Jair Bolsonaro   /    Reforma da Previdência   /    crise econômica   /    Economia nacional   /    Economia

Comentários

Comentar